sexta-feira, 1 de junho de 2012

Euro 2012 - calendário actualizado das transmissões televisivas



Jogo de abertura, Polónia-Grécia (Grupo A) 8/6 às 17.00h na RTP

Portugal-Alemanha (Grupo B) 9/6  às 19.45h na RTP
Imediatamente antes terão jogado entre si a Holanda e a Dinamarca, às 17.00h.

Espanha-Italia (Grupo C) 10/6 às 17.00h na SIC

França-Inglaterra (Grupo D), 11/6 às 17.00h na TVI

Polónia-Rússia 12/6 às 19.45h na SIC
Portugal-Dinamarca 13/6 às 17.00h na SIC.
Alemanha e Holanda jogam de seguida

Espanha-Irlanda, 14/6 às 19.45h na TVI

Suécia-Inglaterra 15/6 às 19.45h na RTP

República Checa-Polónia 16/6 às 19.45h

Portugal-Holanda 17/6 às 19.45h na TVI

Dinamarca e Alemanha jogam à mesma hora por ser a última jornada da fase de grupos.

Itália-Irlanda 18/6 às 19.45h na RTP

Suécia-França 19/6 às 19.45h na SIC


Quartos de final (a partir desta fase os jogos são sempre às 19.45h):

1º Grupo A-2º Grupo B 21/6
2º A-1º B    22/6
1º C-2º D    23/6
2º C-1ºD     24/6

RTP transmite dois jogos dos quartos de final (um deles será o de Portugal se lá chegarmos, 21 ou 22 de Junho).




Meias finais:

Vencedor jogo 1-vencedor jogo 3   27/6
Vencedor jogo 2-vencedor jogo 4   28/6

A SIC transmitirá uma meia final (a de Portugal se lá chegarmos).



Final:

1/7 às 19.45h na RTP.

Euro 2012 - transmissões televisivas RTP, TVI e SIC

(NOTA: confira o calendário actualizado aqui)

Sabe-se já neste momento que a RTP transmitirá 7 jogos, a TVI e a SIC 6 cada.

Por enquanto apenas a TVI anunciou que jogos transmitirá: o França-Inglaterra, 11/6 às 17.00h, o Espanha-Irlanda, 14/6 às 19.45h, o República Checa-Polónia 16/6 às 19.45h e o Portugal-Holanda dia 17 às 19.45h.

A RTP transmitirá a cerimónia e o jogo de abertura, Polónia-Grécia 8/6 às 17.00h, um jogo dos quartos de final (que será o de Portugal se lá chegarmos) e a final. Além disso transmitirá um outro jogo de Portugal da fase de grupos.

A SIC transmitirá o jogo de Portugal da fase de grupos que a RTP não transmitir e uma meia final.

Quando o calendário estiver completo actualizaremos. Entretanto pode ver o calendário dos jogos de Portugal (sem indicação das televisões que transmitem os jogos), dos quartos, meias e final aqui.

Como referi antes, a Sporttv transmite todos os jogos. 

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Crónica de Leonor Pinhão

Aos que ainda a não viram, recomendo a leitura da crónica de Leonor Pinhão n "A Bola", ainda sobre o a conquista do campeonato de basquetebol pelo Benfica no "dragão". Chama-se: A culpa disto é, foi e sempre será de Lisboa.

Retomando muito de quanto aqui temos dito acerca das "provocações" que acontecem sempre que o Benfica (ou outros, como o Barcelona) têm o atrevimento de conquistar um título nas Antas ou no "dragão", Pinhão conta muitos desses episódios, incluindo aquele em que os dirigentes do Benfica, incluindo o saudoso Jorge de Brito, tiveram que se refugiar numa ambulância, escrevendo uma das suas melhores crónicas. Com ironia mas também com todas as letras quando é preciso dizer como as coisas são. A crónica já está disponível nalguns blogs e eu não a transcreverei aqui.

Também Bagão Felix escreve no mesmo jornal uma nota sobre a crónica de Eduardo Barroso (que ontem analisei) apenas para perguntar ao cirurgião "se Carlos Lisboa está a mais no desporto" (como aquele sustenta) o que dizer então do treinador do seu clube que há uns anos foi ao Jamor espancar o então treinador da selecção nacional? (O blog vozes encarnadas já o tinha aliás ontem lembrado). 

No país das polémicas (há sempre algo de "gravíssimo" a passar-se), contra o Benfica tudo hoje se justifica. Qualquer mínimo gesto, menos próprio ou susceptível de ser interpretado como tal, é visto como justificação não apenas para ataques ferozes mas até mesmo para violência física. Ao contrário das "provocações", a violência é uma coisa perfeitamente compreensível e que se explica pelos "ânimos exaltados". O verdadeiramente condenável são ainda e sempre as "provocações" - como condenável é "a segunda carga policial" (a "primeira" "não comentam") sobre "crianças e mulheres indefesas". (Isto passou-se na Síria? Não, no "dragão").

Parece-se seguir destas "análises" que a polícia deveria ter-se retirado e deixado os adeptos ("que nenhum outro crime tinham cometido senão assistir a um jogo de basquetebol") fazer o que queriam. Em resumo, tudo normal, com excepção de um crime horrível de Carlos Lisboa e de uma actuação intolerável e absolutamente injustificada da polícia.

Àqueles que assim têm intoxicado a opinião pública só se pode responder com o desprezo.

Nunca fiz nem farei a apologia da violência, de forma manifesta ou velada, por instigação ou insinuação.

Aqui pelo contrário sempre condenei - e continuarei a condenar - qualquer forma de violência ou coacção. É por isso que apelo desde já, sem prejuízo de voltar a este assunto, que todos aqueles que se deslocarem ao pavilhão da Luz para assistir ao jogo de hóquei entre o Benfica e o Porto apoiem incondicionalmente a equipa mas nunca, em momento algum, excedam o que é normal e curial no desporto. A competição não é uma guerra nem um confronto físico. Agredir adversários em campos desportivos é contrário à essência mesma do desporto e os que o fazem - esses sim - não têm nele lugar. Há valores dos indivíduos, das comunidades, das sociedades e dos clubes que se sobrepõem (infinitamente) às vitórias no desporto.Só mentalidades muito distorcidas podem ver a coisa de forma diferente.

Apelo pois a quem me possa ler que o público da Luz seja sempre exemplar (e sobretudo nos jogos grandes) demonstrando o que significa ser do Benfica. Não precisamos de inventar inimigos para afirmar uma identidade como  não precisamos  não precisamos de insultar ou ameaçar para vencer. Gostamos de vitórias limpas e justas, conquistadas através de mérito, raça, saber e classe.

Euro 2012 - transmissões televisivas



1. As televisões generalistas (RTP, SIC e TVI) transmitirão em directo 19 dos 31 jogos do Euro, obviamente incluindo os de Portugal. A Sporttv transmite todos.

2. Como possivelmente já ouviram ou leram, Portugal agora também tem um polvo (não, não me estou a referir ao submundo da corrupção) que faz "previsões". É o "sucessor" do alemão polvo Paul que no Mundial "adivinhou" os desfechos de todos os jogos da Alemanha e também o resultado da final.

De acordo com ele, não teremos muita sorte no primeiro jogo, precisamente contra a Alemanha. Esperemos que o nosso polvo se engane já à primeira.


Faltam 8 dias para o início do Euro.


quarta-feira, 30 de maio de 2012

Eduardo Barroso e a violência no desporto

Eduardo Barroso é uma figura importante da sociedade portuguesa. Não apenas é sobrinho de Soares; é também um dos maiores cirugiões que temos. Por isso mesmo deveria poupar-se às figuras tristes que faz nos programas e nas crónicas que escreve sobre futebol.
Vem a isto a propósito da sua última crónica onde apelida de "comportamento vergonhoso" e de "impensável provocação" os alegados gestos de Carlos Lisboa no pavilhão do "dragão", considerando que ele "devia ser demitido e severamente castigado". Em relação ao que se passou com os adeptos, Barroso tem palavras de compreensão e desculpabilização: "também não aprovo" mas... "como reagiria qualquer claque naquelas circunstâncias?"; se no Jamor tivesse havido uma situação semelhante "penso que seria difícil evitar uma invasão de campo" e Barroso nessas circunstâncias saberia "identificar o culpado": o agente provocador.

Volto a dizer, Barroso é uma pessoa com tremendos méritos e que deve ser reconhecida no seu campo da medicina. O que diz sobre o desporto (onde aliás tem um cargo dirigente) é porém absolutamente inqualificável, porventura mesmo (como o próprio aliás admite na mesma crónica) digno de um "troglodita". Porquê?

Em primeiro lugar, está por demonstrar que os gestos de Lisboa, no calor dos festejos, significassem o que lhes foi atribuido e tivessem sido dirigidos para os adeptos do Porto. Em segundo lugar está por demonstrar que, mesmo que esse fosse o caso, os adeptos tivessem visto esses gestos e que o seu comportamento subsequente tivesse sido por eles (gestos) motivados. Em terceiro lugar porque jogadores e técnicos do Porto têm habitualmente gestos e palavras insultuosos para com o Benfica na Luz sem que se tenha alguma visto Eduardo Barroso ficar com isso incomodado. Em quarto lugar, porque durante esse mesmo jogo o Benfica e os seus atletas foram continuamente insultados e provocados pelas bancadas, pelo que, seguindo uma "lógica da provocação" teria que se apurar quem começou. Em quinto lugar porque nenhuma provocação, real ou virtual, pode justificar tentativas de agressão e de invasão do campo.

Muito diferente desta posição é a de Daniel Oliveira, que é Sportinguista e escreve no Record e soube ver nestes incidentes o que eles são: um acto de mau perder por parte de quem acha que vale tudo no desporto. Notável aliás a sua leitura da atitude de Pinto da Costa no fim do jogo: "Perante isto, o que fez Pinto da Costa? Pôs-se, como faz sempre, do lado da violência. Indignado por a polícia ter impedindo que os jogadores do Benfica fossem atacados pela multidão em fúria, dirigiu às forças da ordem a sua ira de mau perdedor. Compreendo que tenha saudades do guarda Abel e da conivência das forças de segurança com a sua falta de escrúpulos. Compreendo que ameaças sobre jornalistas seja a ideia que tem do que deve ser a segurança pública. Entendo, por isso, a sua estupefação por a polícia ter defendido os jogadores em risco."

Vergonha senhor Dr. Barroso são todos os comportamento de violência de qualquer adepto ou claques de qualquer clube e isso é que devia ter liminarmente condenado. Foi pena que a sua crónica não tivesse sido sobre a dedução de acusação contra 18 adeptos, 16 do seu clube e 2 do Benfica. O que se passou foi isto: "tudo começou quando 4 elementos da Juve Leo esperaram junto do Estádio a passagem de adeptos do Benfica - a quem lançaram pedras por entre os carros que passavam, lançando o pânico no trânsito. Dois elementos do "grupo ilegal" No Name Boys reagiram com garrafas e engenhos pirotécnicos e estão também acusados por isso". Dentro do estádio, os adeptos da Juve Leo envolveram-se em confrontos com a polícia e lançaram cadeiras e "bolas incendiárias", tendo um deles "incendiado um agente da PSP", ao passo que outro "agredindo com pontapés nas costas um agente o fez cair desamparado nas bancadas tendo logo a seguir festejado este "feito" com outros elementos da claque e ainda tentou fotografar". (As citações são retiradas do "Correio da Manhã de hoje, que por sua vez se baseou na acusação do DIAP). Eu acrescento que após a retirada ou fuga da políciada multidão em fúria, grande parte do estádio de Alvalade irrompeu em aplausos e começou a gritar "Sporting, Sporting".

Tal como, para concluir, são graves e lamentáveis as imagens inqualificáveis de adeptos ucranianos a agredirem barbaramente outros adeptos (aparentemente até do seu próprio clube) apenas porque estes últimos eram asiáticos, que surgiram recentemente na TV inglesa.

Isto Dr. Eduardo Barroso é que são vergonhas. Isto é que são comportamentos graves e muito perigosos. Isto é que o devia preocupar. Mas o que faz o senhor, cujo nível de instrução está muito acima da média e é visto por milhões de pessoas? Ignora isto, desculpa isto, dizendo que o grave, grave é o que fez ou não fez Carlos Lisboa. Que até se compreende a reacção das claques. Que os culpados não são os autores da violência mas os outros, que "provocaram". Que "não se revê" (foi incapaz de condenar) nos incêndios do Estádio da Luz mas que a "jaula", de que andou falando semanas "incendiando" o ambiente, é que era algo de gravíssimo.

Tenha vergonha Dr. Barroso e deixe de actuar como um irresponsável. Dedique-se à medicina onde salva vidas e deixe o futebol onde declarações desse tipo podem contribuir para que um dia elas se percam.

Sálvio dado como garantido

O "Record" dá Sálvio como garantido no Benfica na próxima época, a título definitivo. O "Correio da Manhã" também garante que Sálvio "já deu o sim ao Benfica e aguarda pelo desfecho das negociações entre o Atl. de Madrid e o Benfica por uma verba entre os 8 a 9 milhões de euros".
A confirmar-se trata-se indiscutivelmente de uma boa notícia. Sálvio é um ótimo jogador e nem percebo bem porque não era titular no Atlético de Madrid (que aparentemente vai assinar com ... Cebola) de tal forma era decisivo quando entrava. É um jogador forte, incisivo e com sentido de baliza que pode ser altamente útil ao Benfica.
A minha única questão prende-se com o número de extremos. A confirmar-se esta contratação haverá certamente saídas e talvez até uma nova disposição táctica da equipa. Não é possível manter Cardozo, Rodrigo, Nélson Oliveira, Saviola, Melgarejo, Djaló, Nolito, Bruno César, Ola John, Sávio e Aimar (11 jogadores) para apenas 4 lugares de titular.
Claro que bons jogadores são sempre bem vindos, como bem assinalam seguidores deste blog em anteriores comentários. Sálvio inscreve-se nesta categoria. O que a sua contratação indicia é que haverá também saídas.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Euro 2012 - calendário sintético



O Euro começa dia 8. A partir de hoje, o nosso blog vai começar a dedicar mais atenção à competição e a partir do seu início conto ter (pelo menos) uma crónica diária.

Aqui fica um apanhado dos nossos jogos.

O primeiro jogo de Portugal é já dia 9 de Junho, ou seja, de sábado a uma semana, às 19.45h. Começamos pelo mais difícil - a Alemanha, eterno candidato a ganhar tudo. Imediatamente antes terão jogado entre si a Holanda e a Dinamarca, às 17.00h.
Dia 13 jogamos novamente, desta vez às 17.00h e com a Dinamarca. Alemanha e Holanda jogam de seguida.
Na última jornada da fase de grupos, ambos os jogos são à mesma hora (19.45h) no dia 17. É a vez do nosso arqui-inimigo Holanda.

Caso passemos, jogamos os quartos de final a 21 ou a 22 se ficarmos em primeiro do grupo. Jogaremos com o 1º ou 2º classificado do grupo A (Polónia, Grécia, Rússia, República Checa). As meias finais são a 27 e 28 e a final a 1 de Julho. Serão ao todo 31 jogos divididos por 24 dias.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Não serão extremos a mais?

O Benfica joga, desde que Jorge Jesus chegou á Luz, com dois jogadores nos corredores (para além dos laterais). No primeiro ano, consegui-se um equilíbrio único nas "asas": o jogador rápido, explosivo e virtuoso que é Di Maria, tinha, como contraponto do lado oposto, um outro fora-de-série, capaz de interpretar os momentos defensivos e ofensivos da equipa, no sentido de lhe dar ora equilíbrio, ora profundidade. Trata-se obviamente de Ramirez cuja capacidade sempre admirei e que tem uma enomíssima quota parte de mérito quer nas vitórias desse ano quer na conquista da Champions pelo Chelsea esta época.
Com estes jogadores na equipa, sobretudo Ramirez mas também devido à velocidade e poder de antecipação de David Luiz, o Benfica podia jogar com apenas um jogador no meio campo defensivo, Javi Garcia, que tem uma enorme capacidade física e de choque.

No ano seguinte, a saída de Ramirez e Di Maria expôs mais as fragilidades do sistema do Benfica no meio campo, criando desequilíbrios evidentes. Que foram este ano corrigidos com a entrada de Witsel e a reorganização do meio campo.

O que faltou este ano foi um lateral esquerdo capaz de dar profundidade e segurança, um substituto de Maxi Pereira e um substituto de Witsel, que nalguns jogos se perceber não estar nas melhores condições físicas. Nas faixas laterais, existia abundância e o lugar que chegou a parecer cativo de Gaitan deixou um jogador explosivo e combativo como Nolito demasiadas vezes no banco. Aliás, com algumas nouances tácticas e técnicas, um certo ajustamento do sistema, até Rodrigo e Nélson Oliveira podem jogar nas faixas (e fizeram-no nalguns jogos) tal como Djaló. Até Emerson, no último jogo, ocupou a posição de extremo esquerdo. Em resumo, para o ataque não nos faltaram jogadores, mesmo considerando que Enzo Perez pouco jogou e saiu a meio da época.

Espanta-me portanto um pouco que o Benfica tendo já contratado um jogador, Ohla John, e aparentemente esteja ainda interessado em Sálvio. Em causa não está a respectiva qualidade, que parece evidente, mas a super abundância de jogadores para apenas dois lugares: John, Nolito, Bruno César, Djaló, sendo que ainda não é claro o destino de Perez e se fala na vinda de Sálvio. A isto acrescem ainda outros emprestados e os jogadores que, foi anunciado por Vieira, serão promovidos dos júniores aos séniores. Parecem-me jogadores a mais.

Por outro lado, para defesas laterais fala-se de Ansaldi, Rojo e Fábio (que afinal aparentemente já não virá) mas ainda nada se concretizou.