quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Ainda sobre a meia dúzia dos "B" ao Belenenses

9 pontos em 3 jogos, 8 golos marcados contra 2 sofridos e a liderança da Segunda Liga. Era este o cartão de visita do Belenenses na sua visita à Luz.
E não é que os "B"'s do Benfica venceram por 6-0?
Sensacional e inesperado é o que se pode comentar deste resultado, obtido na Luz perante cerca de 3.000 espectadores.
A este resultado não é estranho o facto de Jardel e Miguel Vítor terem sido titulares e cada um ter obtido um golo.
Ainda assim, o resultado não deixa de ser surpreendente, sobretudo se nos recordarmos que os jogos entre o Benfica e o Belenenses, quando este estava na 1ª divisão, tinham sempre alguma imprevisibilidade - menos nos últimos anos, mas ainda assim não eram 3 pontos garantidos. Aliás creio que uma das goleadas mais expressivas dos últimos anos foi mesmo a do título em 2010: 4-1 no Restelo com um jogão de Saviola, Javi e Ramirez.
Esperemos que esta linha dos "B" seja para continuar, sem deslumbramentos e que a equipa continue a crescer, potenciando jogadores jovens portugueses (Cancelo e Cavaleiro parecem muito bem lançados) para a primeira linha do Benfica e permitindo simultaneamente um espaço de rodagem e manutenção dos níveis de competição para aqueles que não são regulares na equipa principal (como é o caso de Miguel Vítor e outros).

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Parabéns Braga

Que grande exibição esta noite do Sp. de Braga!
Personalizada, autoritária, cheia de classe.
Face ao que vi esta noite, vejo-me obrigado a reavaliar o que disse após o jogo da primeira jornada: o Benfica não empatou com uma equipa banal, empatou isso sim com uma equipa madura, com muita qualidade e que joga futebol (o que não quer dizer que não devessemos ter ganho).
No jogo desta noite, houve períodos em que o Braga massacrou a Udinese, "oferecendo" um verdadeiro banho de futebol. Sem medo de enfrentar o adversário, ter a bola e trocá-la, sem medo de ocupar o meio campo adversário, o Braga mereceu inteiramente a "sorte" que teve. Aliás, merecia ter vencido no tempo regulamentar.
Parabéns também a Peseiro, um treinador que gosta de correr riscos, abordagem que Jesus leva ao extremo, o que nem sempre valorizamos. O treinador do Braga montou um esquema ousado que fez com que a sua equipa fosse quase sempre superior. Não fôra o guarda-redes italiano e a eliminatória ter-se-ia decidido mais cedo.
Uma última palavra para a arbitragem: excepcional. Espero que os árbitros portugueses tenham visto, porque só podem ter aprendido. Indiferente a pressões, decidindo sempre em consciência e nunca "compensando", o árbitro foi exactamente aquilo que deve ser no terreno de jogo - um juiz imparcial.

Benfica-Nacional, Domingo às 20.15h

3ª Jornada


V.Guimarães
   
-
 Estoril

01/Set
 18h30



Olhanense
-
Porto

01/Set

20h30




Beira-Mar
Moreirense

02/Set

16h00




G.Vicente
V.Setúbal

02/Set

16h00




Rio Ave
Académica

02/Set

18h00




P. Ferreira
Braga

02/Set

18h00




Benfica
Nacional

02/Set

20h15




Marítimo
Sporting

16/Set

20h15


Últimas transferências - faltam 3 dias

Emisários do Manchester City estiveram em Setúbal. Só eles saberão quem vinham observar e a imprensa especula em Javi ou Witsel. Ambos são importantíssimos para o Benfica.
Modric finalmente assinou pelo Real Madrid, o que assegura que Witsel não sairá para o Barnabéu. Só mesmo o City poderia, nestes dias que faltam para o fecho do mercado de transferências, pagar a cláusula de rescisão e levar-nos este grande jogador. A possibilidade Javi também aumentou e o "Record" diz hoje que o próprio treinador já disso teria sido informado. A confirmar-se seria um dos mais duros golpes, mais ainda do que Witsel. Desde 2009 Javi esteve praticamente em todos os jogos. A sua presença na equipa, a sua capacidade física e a sua garra são fundamentais para o equilíbrio do Benfica. Espero muito honestamente que não saia.
Fala-se também na possível saída de Gaitan para o Liverpool por 12 milhões de euros. Seria um bom negócio que o Benfica deveria aceitar. Também o "Record" fala no interesse da Juventus por Cardozo e numa oferta de 8 milhões. Há a questão Eliseu, Saviola e outros empréstimos e saídas a negociar.

Por outro lado, no Porto, há ainda a questão Hulk. É evidente a vontade do jogador em sair e a necessidade do clube realizar dinheiro. Por outro lado, os valores da transferência de Modric mostram que o que o Porto quer por Hulk é irrealista - a não ser que o dinheiro venha da Rússia. Eu creio que o Porto tem um problema no meio campo, pois além dos titulares Fernando, Moutinho e Lucho tem apenas Defour e Castro (que também vai sair). A acrescer a este cenário, diz-se que Villas-Boas quer Moutinho, para substituir Modric. A sua eventual saída (em que apesar de tudo não acredito muito) seria desastrosa para o Porto. O que parece certo é que um deles sairá - Hulk ganha fortunas no Porto e o clube tem que realizar dinheiro até dia 31.

A "notícia" cómica do dia vem n' "A Bola". Depois de uma exibição como a de ontem do Sporting (que, como eu disse depois da 1ª jornada, não é candidato ao título e o mais certo é não se qualificar para a Liga dos Campeões), o jornal diz que o CSKA oferece 18 milhões por Wolfswinkel...

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

À atenção da direção do Benfica - cuidado com as campanhas

Ainda eu mal tinha acabado de escrever o anterior post e já temos novidades. Não satisfeito com as declarações do seu treinador, o Presidente do Setúbal vem dizer que "se fosse ao contrário havia uma revolução". É curioso, porque não apenas não tem razões de queixa como inclusivamente "ao contrário" aconteceram no ano passado casos muito mais graves (não vou enumerá-los pela enésima vez) e não aconteceu nenhuma revolução.

Outra declaração interessante, esta de José Pedro, jogador do Vitória: "Amoreirinha foi expulso e Luisão, numa jogada praticamente igual (!), apenas viu o amarelo."

Porque é que isto é importante?

Pela simples razão de que tão importante quanto a realidade é a percepção da realidade. Se, cada vez que o Benfica nem sequer é beneficiado, ou se o é é apenas marginalmente, por centímetros de Melga, há esta gritaria, cria-se a percepção de que o Benfica é realmente muito beneficado pelas arbitragens. Isto quando, como sabemos, é exactamente o contrário do que se passa.

Para mim, isto é o sistema a actuar. Um sistema que controla clubes satélites e muita da imprensa. Esta percepção distorcida passa para a opinião pública e pesa no subconsciente dos árbitros, já de si condicionados pelas estruturas dominantes (observadores, etc.) afectas ao Porto.

O Benfica não pode portanto deixar passar estas mensagens impavida e serenamente. Se o treinador deve estar resguardado, o que se compreende, já o departamento de comunicação e o Presidente têm que repor a verdade das coisas. Não há razão para os clubes raramente se sentirem prejudicados quando jogam com o Porto - e tantas vezes o são de facto - e quase nunca se insurgirem contra as arbitragens daqueles jogos e à mínima razão de queixa (real ou imaginada) em jogos com o Benfica se levantar um "aqui d'el Rei" como se os estivessem a atirar diretamente para a 2ª divisão.

Se o Benfica nada disser de certa forma dará a ideia de que concorda e está calado porque foi beneficiado. Quanto aos árbitros, se mesmo quando decidem justamente, apenas porque isso é a favor do Benfica, são objecto de um churrilho de críticas e quase um incitamento a uma revolução, então a pressão será enorme para NUNCA decidir a favor do Benfica em qualquer caso que levante a mínima dúvida.

Setúbal-Benfica - casos de arbitragem

Bastaram duas decisões correctas da equipa de arbitragem favoráveis ao Benfica para o treinador adversário e alguma imprensa tentarem transformar uma grande exibição e uma goleada à antiga do Benfica, num caso de manipulação do resultado por parte do árbitro.
É curioso que quando outros vencem por 3 e 4 bolas o resultado "não mente", "tem que se aceitar", "acaba por ser pesado", etc.
Quando o Benfica vence, ainda que seja por 5-0 como neste caso, temos treinadores adversários a atribuir a total responsabilidade do resultado ao árbitro, como aconteceu ontem com José Mota.

Penso que em todo o jogo há quatro lances nos quais os árbitros foram chamados a tomar decisões importantes.

O primeiro é evidentemente o vermelho a Amoreirinha. Antes do jogo tinha ouvido na Antena 1 a análise de José Nunes dizendo que o Setúbal tentaria de início, com um jogo muito físico, intimidar os jogadores do Benfica. Depois de ver a entrada de Amoreirinha (incompreensível, tratando-se de um jogador formado no Benfica) e ouvir as declarações de José Mota fico com a impressão de que realmente essa era a estratégia do Setúbal. Que obviamente correu mal e ainda bem para o futebol. A entrada é de tesoura, violenta e perigosíssima e não pode merecer qualquer outra sanção senão o cartão vermelho. É um caso em que há uma unanimidade completa até do painel de árbitros d' "O Jogo".

O segundo caso é o da posição de Melgarejo no primeiro golo do Benfica. A linha que se vê na televisão dá a ideia de que Melga estaria uns centimetros adiantado (o corpo, porque o pé está em cima da linha). Dá a ideia mas não dá a certeza absoluta, até porque o exacto momento do passe é quase indeterminável. Nestas circunstâncias (se na TV não temos a certeza então o fiscal em tempo real é impossível) manda a lei que se beneficie quem ataca. Nessa medida a decisão foi correcta.

Há depois dois lances de golos anulados ao Benfica (aos 55 e aos 69 minutos). Em ambos os casos parece-me que a decisão é correcta. No primeiro não há dúvidas, no segundo Nolito está ligeiramente adiantado. Também bem portanto.

O que justifica então as lamúrias e o choradinho do treinador do Setúbal, que veio falar de "grandes e pequenos", de "erros graves da equipa de arbitragem", de o terem "impedido de disputar o jogo" e de "dualidade de critérios"?

Aparentemente, José Mota queria que Luisão fosse expulso por uma falta absolutamente banal a meio campo. Ou seja, para Mota, uma vez que Amoreirinha tinha sido expulso, o árbitro deveria também, à primeira oportunidade, dar um vermelho a um jogador do Benfica.

O mais triste é que Mota tem razão em pensar assim. Ele sabe, de experiência, que muitas vezes é assim. Há árbitros que só precisam de um pretexto para expulsar jogadores do Benfica: Proença, Soares Dias, Capelas... Também já Jorge Sousa anulou (mal) um golo a Luisão em Braga e expulsou Cardozo depois deste ser dupla e cobardemente agredido por Mossoró e Ney, no célebre e triste jogo em que também Vandinho agrediu um treinador adjunto do Benfica (e seu no ano anterior) que tentou apaziguar a situação.

Quando um árbitro aplica as regras e essa aplicação resulta em benefício do Benfica, os adversários sentem-se porém injustiçados. É a força do hábito...
Esta é a realidade. E ela só parece adulterada porque vemos comentadores todas a semanas a tentar manipulá-la e porque há jornalistas que são coniventes com essa manipulação. É o exemplo da RTP que no seu resumo do jogo coloca junta as imagens da expulsão de Amoreirinha com o lance de Luisão como se houvesse alguma comparação entre as duas jogadas, sugerindo essa alegada dualidade de critérios e essa "explicação" para o desfecho do jogo.

Pena é que o Benfica nestas situações não tenha uma política de comunicação mais acutilante que ponha as coisas no seu devido lugar.

Uma palavra final para Jorge Sousa. Já nos prejudicou no passado mas ontem demonstrou coragem ao mostrar o vermelho aos 8 minutos. Duvido que o sistema tenha gostado...

Fez lembrar o 8-1



Excelente vitória, ontem no Bonfim, com o Benfica a fazer lembrar a equipa de há três anos e a equipa que o ano passado alcançou 5 pontos de vantagem sobre o 2º classificado. É um campo por regra difícil para o Benfica, pelo que a vitória de ontem é importante.

Foi uma grande exibição, obviamente facilitada pela expulsão de Amoreirinha. De certa forma, o jogo ficou logo alí sentenciado, tal a diferença de valor entre os jogadores das duas equipas.
Pouco depois veio o primeiro golo e o jogo acabou mesmo.

Sálvio esteve infernal, assim como Rodrigo, a justificarem a titularidade. Sálvio é realmente, independentemente do número de extremos que temos, um jogador como há poucos, que de facto faz a diferença. Quanto a Rodrigo, a opção de renovação foi a mais acertada como se viu pela confiança e atitude que ontem exibiu. Entre os dois é difícil escolher quem esteve melhor, pois Rodrigo marcou dois golos, mas eu escolheria ainda assim Sálvio porque foi um motor a alta rotação que, com os seus esticões, "partiu" totalmente a defesa do Vitória de Setúbal.

De resto toda a equipa mereceu nota alta. Maxi subiu sempre muito bem, Garay deu enorme segurança, Javi esteve ao nível habitual, que é muito alto, Witsel pautou e dominou o meio campo e também Enzo Peres começa a demonstrar ritmo e entrosamento.

Jesus esteve bem ao fazer uso do super-banco de que dispomos, efetuando as substituições cedo e dando minutos a Nolito, Carlos Martins e, mais tarde, Aimar. Todos eles tiveram boas atuações e participação em golos, tendo Nolito mesmo marcado, num lance facilitado pelo guarda redes.

Por fim, em relação a Melgarejo, a exibição foi também bastante boa, destacando-se a excelente jogada e notável assistência para o 1-0 que desbloqueou definitivamente o jogo. Aliás, foi sua a iniciativa que levou à entrada e consequente expulsão de Amoreirinha. No entanto, continuo a ter as maiores dúvidas em relação a esta solução para o lugar de defesa esquerdo. Melgarejo é para mim - já neste momento - um grande jogador mas para o lugar de extremo. Neste jogo destacou-se a atacar e poucas vezes teve que defender. Nessa medida não sei se o Benfica fica a ganhar muito com a sua adaptação ao lugar de defesa.
Lembro-me que Coentrão como extremo não tinha qualidade suficiente a atacar. O mesmo se passava com Maxi. Faltava-lhes algum talento, alguma imaginação e explosão que as extremos é requerida para fintar os adversários. No entanto, tratando-se de dois jogadores com enorme pulmão, vindos de trás e embalados, tornam-se muito perigosos e úteis no ataque. Daí serem adaptações de sucesso.
Já Melgarejo possui essa capacidade de explosão, possui sentido de baliza e uma velocidade espantosa. Penso por isso que tem qualidade suficiente para ser extremo.
Como defesa, não excluo que dê novos erros tais como os que deu contra o Braga.

Sobre a arbitragem e alguns comentários ouvidos nas televisões, falarei de seguida.