sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Das arbitragens - pela ÚLTIMA VEZ

Entendamo-nos de uma vez por todas: as arbitragens protegem o Porto a um nível quase inacreditável e uma parte muito considerável dos seus sucessos deve-se à adulteração da verdade desportiva por parte dos árbitros. Mais: muitos dos árbitros actuam desta forma de uma maneira consciente, deliberada. Quem quiser ver as coisas objectivamente não pode deixar de reconhecer que é assim.

Num campeonato, o Porto é objectivamente prejudicado em 1, 2 jogos no máximo. E é beneficiado em talvez dois terços dos jogos restantes. 

É RARÍSSIMO (acontece nos tais um ou dois jogos por época) o Porto ter uma expulsão ou um penalty contra quando um jogo está empatado ou o Porto vence por uma bola. É QUASE UMA IMPOSSIBILIDADE ESTATÍSTICA. E isto apesar de se saber que os jogadores do Porto usam de uma agressividade muito acima da média!


Já O CONTRÁRIO - O PORTO SER BENEFICIADO QUENDO UM JOGO ESTÁ EM ABERTO - ACONTECE INÚMERAS VEZES. Diria mais: ACONTECE EM GRANDE PARTE (SE NÃO A MAIORIA) DOS JOGOS EM QUE O PORTO ESTÁ A TER DIFICULDADES NO JOGO.


Esta realidade é absolutamente indesmentível por quem é intelectualmente honesto. Claro que é muito difícil ou quase impossível levar um adepto do Porto a admiti-lo. Ninguém pode viver numa contradição interior tamanha: festejar títulos (e são muitos de facto) e ao mesmo tempo sentir-se "culpado" pela forma como eles são alcançados. A psicologia explica os mecanismos através dos quais as pessoas resolvem isto. Há uma negação, um bloqueio mental que entra em acção quando o Porto é beneficiado. É como se os seus adeptos não vissem estes benefícios - mas não vissem MESMO. De certa forma podemos até dizer que não o vêm. Por outro lado, os adeptos do Porto são muito fanáticos, o que agudiza este estado de coisas e - é importante sublinhá-lo - muitos deles nem são grandes amantes de futebol. Isto pode parecer uma coisa estranha, mas existem muitos portistas que vivem o futebol não tanto pelo jogo mas pela alegria e orgulho que as vitórias lhes propiciam. O futebol é de certo modo um instrumento do amor à sua cidade (que muitos chamam bairrismo) e não algo que se aprecie por si mesmo. Há muito fanatismo mas não há tanta paixão como a que existe entre os adeptos do Sporting ou do Benfica. Se o Porto começasse a perder, o seu estádio rapidamente se esvaziaria e uma parte considerável dos seus adeptos afastar-se-ia rapidamente do futebol. Disso não tenho a menor dúvida.

Passemos ao Benfica.

É um lugar comum dizer que os grandes são beneficiados. A verdade porém é que, ainda que o Benfica possa ser aqui ou ali beneficiado (estou-me a reportar ao período dos últimos 25 a 30 anos), é muito mais flagrante e frequentemente prejudicado. Existem blogs que o demonstram de forma objectiva (influência arbitral) e eu não farei aqui toda uma enumeração de jogos que sustentam o que digo. Aliás se o leitor quiser clicar no separador acima, relativo ao sistema, encontrará muitos casos ABSOLUTAMENTE ESCANDALOSOS em que as arbitragens, DELIBERADAMENTE, não tenho o menor pejo em afirmá-lo, prejudicaram o Benfica. A razão pela qual isto não é mais consensual na sociedade portuguesa e no meio futebolístico em geral, é porque os comentadores por regra se refugiam em lugares comuns como "os grandes são geralmente beneficiados", "no final do campeonato os prejuízos e benefícios equilibram-se", "quem ganha é porque foi melhor" e outros do género que lhes permitem fazer análises pseudo-doutorais mas que não têm qualquer correspondência com a realidade. 

Foi o Benfica beneficiado por algumas arbitragens nos últimos anos? Certamente, mas foi muito mais prejudicado, SOBRETUDO se compararmos com o que se passa com o Porto, que é o seu adversário directo. No tocante a jogos entre os dois, então, o balanço é ainda mais desequilibrado. Em jogos nas antas é rara a vez em que o Benfica não tenha um penalty ou uma expulsão contra, sendo a inversa completamente falsa. Pelo contrário, o Porto já "conseguiu" muitas vezes ser beneficiado na Luz e capitalizar esses benefícios em resultados que iam ao encontro das suas necessidades. 

As explicações para isto são múltiplas e também já abordei esse assunto, tendo-o até, creio, explicado em larga medida. Há razões para que as coisas sejam assim. Desse conjunto de factores resulta essa coisa a que chamo (em conjunto com muita gente) sistema. Direi apenas agora que praticamente NENHUM árbitro QUER FICAR ASSOCIADO A UM MAU RESULTADO DO PORTO. É um peso muito grande, que pode significar uma carreira mais curta, certamente de menor projeção e quase de certeza afastado dos jogos internacionais (onde os árbitros ganham mais dinheiro por apitar).

Proença, um mestre a gerir a sua carreira, é um dos que melhor percebe como as coisas funcionam e é por isso que faz o que faz, não apenas com impunidade mas mesmo com aplauso quase generalizado.

Mas aqui chegamos ao ponto principal, que constitui a razão pela qual eu há tempos disse que não aceitava mais desculpabilizações das derrotas do Benfica com base em "erros" dos árbitros.

O BENFICA NÃO PODE CONTINUAR A ACTUAR COMO UM COITADINHO. O Benfica é o maior clube português em termos de adeptos e sócios e tem capacidade para mudar o estado de coisas. Tem é que actuar de forma inteligente e veemente para conseguir resultados. Não é com apoios a Fernando Gomes e convites a Proença para ir ao Seixal dar explicações que o conseguirá. 

Não me peçam para vir aqui dar receitas. Já escrevi muito sobre o assunto e apontei coisas que era imperativo fazer. A errância e a falta de inteligência numa matéria tão estratégica são porém fatais perante um quadro tão adverso quanto o que enfrentamos. Não faz portanto qualquer sentido nós (blogs e adeptos) falarmos, berrarmos e chorarmos com a arbitragem quando a nossa direção nada faz que verdadeiramente se veja, parecendo aceitar o actual estado de coisas. 

A direcção do Benfica não pode comportar-se como se estivesse atada de pés e mãos e nada pudesse fazer. Tem que estar em cima dos acontecimentos, tem que saber quem são os observadores, que notas têm os árbitros que nos prejudicam com erros grosseiros, tem que requerer os relatórios, tem, enfim, que fazer MUITO MAS MUITO MAIS para defender os interesses do Benfica. Não pode estar de bem com Fernando Gomes e convidá-lo para ir a Paris quando as coisas são o que são.

Não se verificando isto, eu assumo que não falo de arbitragens.

Finalmente há outra coisa que os adeptos devem ponderar: o Benfica não pode estar à mercê de uma decisão arbitral desfavorável, não pode perder dois pontos em casa com o Belenenses apenas por o árbitro ter validado um golo ilegal ao nosso adversário. O Benfica teve tempo (e tinha mais do que obrigação) para ainda assim ter ganho esse jogo. A mentalidade dos coitadinhos é uma coisa que tem que ser completamente erradicada do Benfica! 

A terminar deixo uma pergunta: quando será que a nossa equipa entrará em campo mais motivada e determinada do que o Porto? É que eles, protegidos, têm que inventar inimigos imaginários para se motivar, ao passo que nós, prejudicados, temos razões reais para transformar a indignação em vontade de vencer...


1 comentário:

  1. Estou de acordo em tudo mesmo tudo no que dizes.
    GondarSLB

    ResponderEliminar

Os comentários são agora automaticamente publicados. Comentários insultuosos poderão ser removidos.