sexta-feira, 12 de julho de 2013

A formação do Benfica - II

A contratação de Sílvio, que saúdo, é paradigmática. O jogador foi formado no Benfica e chega ao nosso clube por empréstimo do... Atlético de Madrid.
A contratação parece-me boa pois trata-se um jogador com qualidade, rotinado no lugar e português. Permite uma alternativa a Maxi diferente de André Almeida: Sílvio tem mais rotação, mais cultura daquela posição e mais velocidade. Sílvio pode ainda jogar na esquerda.

A situação de Sílvio é um pouco o retrato da formação do Benfica: formam-se alguns jogadoers com qualidade mas aposta-se pouco neles, sendo-lhes dadas poucas oportunidades. Muitos se perdem assim em clubes de dimensão menor, sem terem tido oportunidade de evoluir como poderiam no seio do Benfica, com condições, jogadores e treinadores melhores do que os que vão encontrar naqueles clubes. Não foi o caso de Sílvio mas a verdade é que o passe do jogador também já não nos pertence.

Repare-se: nem todos podem ser Aimar, Messi, Coentrão ou Matic. A maioria dos jogadores são médios em termos de qualidade, assumindo depois a dedicação, a postura competitiva, os treinadores com quem trabalham, a fortuna ou felicidade que têm na sua carreira um papel decisivo para determinar como esta mesma carreira evolui. 

Trata-se pois de uma questão de aposta dos responsáveis, de confiança dos treinadores, de paciência com os jogadores.

Mourinho no Porto ou no Chelsea contou com jogadores de qualidade excepcional mas também com muitos jogadores medianos ou médios para conseguir atingir as impressionantes conquistas que marcam o seu percurso. Olhe-se para os casos de Nuno Valente, Hilário, Derlei e Postiga. Olhe-se mesmo para Paulo Ferreira, um jogador que conquistou inúmeros títulos de campeão nacionais e internacionais e que não era propriamente um predestinado. Era um jogador competente, dedicado e com boa condição física, apenas isso. Simplesmente teve um Mourinho que apostou nele, lhe deu confiança e o ensinou a ser melhor. 

É isto que o Benfica deve saber fazer. Aproveitar o melhor de cada jogador. "Coentrões", "Di Marias", Ramirez ou "Davids Luises" são a excepção. Jogadores como Sílvio são pelo contrário o jogador médio do futebol europeu, ou da metade superior, em termos de patamar competitivo, do futebol europeu.

Se percebermos isto, se soubermos ser pacientes e apostar nos nossos valores, desde João Cancelo a André Gomes, passando por André Almeida, Miguel Rosa e Ivan Cavaleiro, poderemos tirar muito mais partido da nossa formação. Detectar talentos jovens no estrangeiro ou mal aproveitados em grandes clubes é sem dúvida uma solução que temos usado com resultados positivos desde a chegada de Rui Costa e Jorge Jesus. Importa porém apostar na nossa formação para equilibrar mais os nossos plantéis e as nossas finanças. Tal permitirá mais estabilidade nos plantéis (os jovens talentos estrangeiros não ficam muito tempo), mais cultura benfiquista, mais solidez emocional e melhores resultados financeiros. A criação da equipa B foi um excelente passo nesse sentido. Importa agora dar-lhe também estabilidade ao nível da direção técnica e não mudar de protagonistas todos os anos. Saibamos tirar partido desta aposta e potenciar os jogadores da nossa formação. Não tenho dúvidas de que este é o caminho. 

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Plantel ganha forma (mas mercado continuará aberto meses)

O Benfica está agora finalmente a reforçar os sectores mais fragilizados da equipa, designadamente as laterais e o centro da defesa.

É curioso que tendo na época passada chegado às finais das três competições mais relevantes (se por final entendermos, no que ao campeonato diz respeito, estar em 1º a duas jornadas do fim), tenhamos apesar disso sentido a necessidade de reforçar a equipa em todos os sectores.
É algo paradoxal: apesar do "quase" sucesso, havia afinal reconhecidamente fragilidades várias. 

No entanto, muito embora tenha contratado já 9 jogadores (a confirmar-se a vinda de Bruno Cortez, lateral esquerdo brasileiro), o Benfica continua a precisar de fazer pelo menos 2 contratações mais. 

As contratações que falta são para o meio-campo.
O problema da defesa está resolvido e o ataque poderá não ter mexidas, mesmo com a mais que provável saída de Cardozo.

Tal como assinala José António Saraiva na sua crónica de hoje no "Record", a contratação dos sérvios poderá significar um tipo de jogo um pouco diferente em que possivelmente não caiba um avançado mais fixo como Cardozo. Estamos a especular um pouco, é certo, mas a realidade é que contratar 3 jogadores com nome e qualidade como Djuricic, Sulejmani e Markovic para apenas um lugar na frente de ataque não faria muito sentido.

Já assinalei anteriormente que via Djuricic como sucessor de Aimar mas que JJ considera que este é mais do tipo de Saviola, um segundo avançado. Sendo essa também uma posição natural para Markovic e Sulejmani (que também jogam pelas alas, onde já existem varias opções), a contratação de um "novo Cardozo", a acrescentar a Lima, retiraria quase por completo o espaço de afirmação às novas contratações sérvias.

Creio portanto que não haverá mais contratações para o ataque, a não ser que apareça um "novo Weldon", isto é, um goleador "barato" e oportuno para jogar apenas alguns minutos quando as equipas adversárias se fecham muito e os jogos estão bloqueados.

O que nos leva à maior incógnita do próximo ano e sobre a qual já escrevi também alguns posts: o meio campo do Benfica em 2013/14. E aqui infelizmente teremos com toda a probabilidade que esperar pelo fecho do mercado. Já o ano passado assim foi com as saídas de Javi Garcia e Witsel e esta época a história poderá repetir-se com a situação de Matic.

Para estarmos a salvo de surpresas (até porque jogadores como Matic não aparecem todos os anos) seria boa ideia assegurar já a contratação de um centro campista que dê garantias e manter um outro já sob observação. É preciso notar que mesmo com Matic o Benfica sentiu a falta de um elemento adicional que pudesse substituir o sérvio quando necessário. Até para o lugar de Enzo deveria ter existido outra opção, dado que a aposta em André Gomes não foi consistente. A este propósito insisto: deveria apostar-se na prata da casa e dar-se uma oportunidade a Miguel Rosa.

Rosa é um centro campista que tem jogado sobretudo no meio campo ofensivo mas cujo talento será eventualmente escasso para assumir essa responsabilidade numa equipa como o Benfica. Mas sendo ele um jogador trabalhador e abnegado, creio que facilmente se poderia fazer a "adaptação". Se Jesus adaptou Enzo, Melga e o próprio Matic, porque não poderia adaptar Rosa?

É pequeno? E Moutinho? Será algum gigante? E Xavi, do Barcelona, será alguma torre?

Esta seria a meu ver uma opção que nos poderia resolver um problema sem custos e com a prata da casa. 

Resolvido até ver o problema da defesa, vislumbrando-se um novo ataque com múltiplas opções, é agora tempo de assegurar que o miolo do campo terá as opções necessárias para enfrentar nova época. Opções que deem resposta às necessidades - não apenas até às "finais" mas até às conquistas.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Será muito difícil substituir Cardozo

Retirado do site da UEFA, Liga Europa.


Cardozo tem uma característica rara e preciosa no futebol: marca golos. Muitos golos, de várias formas. Tem o golo nos pés como se costuma dizer.

Os goleadores são raros no futebol e por isso são muito caros. A ideia de que qualquer um marca desde que lá esteja não é verdadeira e a experiência já múltiplas vezes o demonstrou.

Por regra, as equipas de topo têm um grande goleador. O Sporting nas únicas duas vezes em que foi campeão nos últimos anos teve dois goleadores: Acosta e Jardel. O Porto nos últimos 3 anos teve Falcao, Hulk (muito à custa de penalties, é certo) e Jackson. 

O Benfica tem tido Cardozo e por isso venceu em 2010 e esteve muito perto de vencer nas últimas duas épocas. Se chegámos à final da Liga Europa devemo-lo em grande medida a Cardozo que marcou em todas as eliminatórias. E se a perdemos devemo-lo a Torres que do nada criou o golo que nos colocou em desvantagem e inverteu a tendência do jogo que até aí nos era favorável.

O Benfica tem ainda Lima, tem Rodrigo e tem os sérvios que me parecem bons jogadores. Mas para além de Lima nenhum deles me parece um goleador nato. E nenhum deles, incluindo Lima, tem as características de Cardozo.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Benfica 2013/14 - mais do mesmo?

Começo a ficar cansado, como é notório para quem costuma visitar este blog.

Vejo com preocupação o que se passa no Benfica. A falta de exigência, a falta de responsabilização, um certo irrealismo começam a ser a regra no Benfica.

O fim de época passada foi  o que se sabe. A derrota na final da Taça contra uma equipa remendada do Vitória foi inaceitável.

Deveria ter obrigado a uma reflexão por parte de todos. A um enorme cerrar de fileiras e a uma concentração redobrada no trabalho para a nova época. A uma política de comunicação sóbria, discreta, minimalista. À definição de um rumo claro para que não se repetissem os erros decisivos do final de época passada.

E o que se verifica?

Um treinador que parece já ter esquecido que esteve de joelhos, que chorou, que foi quase agredido e cuspido, a falar em "hegemonia" (!!) do futebol português. Alguém que não é campeão há 4 anos!!

Uma política de vendas e contratações que, apesar de algumas decisões acertadas, parece errática e pouco coordenada.

Eu não quero sequer acreditar que Steven Vitória, um jogador com inquestionável qualidade, possa ser um novo Capdevilla. Mas as declarações de Jorge Jesus fazem-me temer esse cenário. Instado a falar dos reforços para a defesa nem sequer mencionou o seu nome!! Depois, "relembrado" pelo entrevistador (um vice-presidente, o que é outra originalidade neste Benfica) de que havia ainda o luso-canadiano, JJ lá diz que sim, que o jogador até pode ser uma solução, que tem alguma qualidade e que é Português o que "pode ser importante para a Champions". Ou seja, dá ideia que Steven Vitória vem para fazer número ou preencher "quotas" de jogadores portugueses. Na SIC disse-se hoje que "não é líquido que Jorge Jesus queira Steven Vitória no plantel".

Sublinho, nem quero acreditar numa coisa destas.

Depois há o caso de Miguel Rosa, cuja situação, tanto quanto sei, continua por definir. Não me interessa que o jogador possa ter 24 anos, em contraposição com jogadores mais novos das equipas B. 
24 anos é suficientemente novo para ainda poder evoluir quando o ponto de partida (melhor jogador da segunda Liga, consecutivamente eleito em todos os meses como tal) já é bastante razoável.

E finalmente o de Rúben Amorim. Depois de se ter portado mal com o Benfica e o seu treinador, irá aparentemente integrar o plantel e foi, de acordo com "A Bola", abordado para renovar!

Quanto às aquisições, também fiquei surpreendido com as declarações de Jorge Jesus, de acordo com as quais Djuricic afinal não é sucessor de Aimar mas antes um "9 e meio", um jogador "do tipo de Saviola". 


Se este é o caso, parece-me então que contratámos 3 jogadores para a mesma posição: Djuricic, Sulejmani e Markovic.

Para ajudar à "festa", Jesus diz que "é quase impossível que Matic não saia". Como???

O Benfica quer empurrar o seu melhor jogador, o melhor jogador da Liga na época passada, para a porta da rua? Mesmo que esse fosse um cenário provável, desde quando se fazem declarações deste tipo? Acerca de um atleta exemplar que várias vezes já disse estar contente e querer dar o seu contributo para que o Benfica agora conquiste os títulos que merece?? 

E depois vejo os adeptos e os blogs a falarem de calendários "cozinhados" e de novas perseguições ao Benfica. Isto porque - imagine-se - vamos ter que jogar contra os adversários numa certa ordem, que pelos vistos nos será desfavorável. O ponto a que se chegou...


Tudo neste Benfica me começa a parecer demasiado estranho.


Daí algum cansaço e menor tempo dedicado a este blog. Começo a temer que a época que se avizinha venha a ser a repetição de um filme já demasiadas vezes visto nas épocas passadas: muita conversa e zero (ou perto disso) de resultados. E para isso já dei demasiado na época passada em que atingi o meu limite de ilusões com o futebol e com este Benfica.

Espero estar enganado.