quarta-feira, 17 de julho de 2013

A qualidade começa-se a ver

Há já considerável tempo que aqui referi que o tridente sérvio de ataque constituía um muito bom reforço para o Benfica. Djuricic, Markovic e Sulejmani pareceram-me logo boas contratações, por se tratarem de jogadores com técnica, com talento e com cultura futebolística.
A minha grande dúvida dizia respeito a Sulejmani, não propriamente quanto à qualidade mas sim por ter tido uma lesão grave e por ter estado parado bastante tempo, creio que por não ter renovado com o Ajax e o clube o ter assim querido pressionar ou mesmo punir.
Vistos os primeiros jogos, que servem sobretudo para experiências e para encontrar os lugares e os modos de jogo em que os atletas podem render mais (e estes se adaptarem às concepções de jogo da equipa, obviamente) começam a definir-se melhor as coisas e a qualidade que me parecia existir começa de facto a mostrar-se.
Djuricic é o construtor, armador de jogo que se esperava, mostrando qualidade e visão, Sulejmani apareceu em bom plano, quer a finalizar, quer a jogar como extremo esquerdo, quer na posição de segundo avançado e Markovic é um criativo, um jogador rápido na frente de ataque com características bastante peculiares e interessantíssimas se souber colocar o seu talento ao serviço da equipa.

Existe de facto muito talento nestes jogadores, que até exibem alguma versatilidade (embora sempre em posições de ataque), que Jorge Jesus seguramente saberá aproveitar ao máximo. Se há qualidade que Jesus tem mostrado nestes anos de Benfica é conseguir extrair o máximo rendimento dos atletas.
Assim no ataque não faltarão soluções, o que não quer dizer que não se possa vir a sentir a ausência de Cardozo, mas esse é um outro tema que aqui agora não cabe.

Quanto ao meio campo fico satisfeito por Farina poder ser uma alternativa a Enzo. Como várias vezes tenho vindo a assinalar, a "alta rotação" do nosso meio campo tem que ser assegurada através de alguma alternância e a contratação de Farina parece servir para esse efeito. Continuo a achar que fica a faltar uma solução para substituir Matic mas quem sabe se ela não poderá surgir dentro do próprio plantel. 

Finalmente quanto à defesa estou tranquilo. Sofremos muitos golos, muitos mais do que é aceitável, mas existem qualidade e opções em número mais do que suficiente para que as coisas mudem rapidamente assim que começarem os jogos a doer.

Na minha opinião, Melgarejo esteve bem na maioria dos jogos da época passada. No entanto precisávamos naturalmente de um lateral de raiz. Neste momento temos Melga, o brasileiro Cortez (que penso que tem ainda muito que aprender em termos de futebol europeu) e ainda Sílvio, ao passo que para a direita, além de Maxi e André Almeida, temos agora ainda Rúben Amorim. Em termos de centrais Lisandro parece uma boa aposta, Vitória já deu provas e Mitrovic tem condições naturais para ser também um jogador confiável. Se eu estivesse à frente do Benfica Luisão continuaria, pois é importante não mudar uma defesa toda de um ano para o outro.

Falta agora resolver os casos pendentes, tentar colocar uma série de jogadores que não têm lugar no plantel (e que referi já anteriormente) e começar a trabalhar, com calma, para estar pronto para os primeiros desafios da época. Este ano todos devemos aprender com o que passou no fim do ano passado e recordar que não há vencedores antecipados e que não faz sentido entrar em euforias antes do tempo.

No imediato, após as perplexidades que manifestei anteriormente, vejo alguns sinais positivos, como seja a versatilidade dos sérvios (que permitirá nuances tácticas interessantes), a contratação de um substituto para Enzo e o número de soluções válidas para a defesa (os muitos golos sofridos até podem ser uma coisa boa pois alerta em tempo útil para a necessidade de trabalhar estes processos).

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Perplexidades de pré-época

Estamos na pré-época sendo obviamente muito cedo para tirar ilações, fazer projeções e mais ainda balanços.

No entanto preocupa-me que o plantel do Benfica continue a ser muito desequilibrado e que se insista em erros e opções que me parecem absolutamente tontas. Em particular causam-me estranheza os seguintes aspectos:
  • O que fazem Michel e Djaló na Suíça? O próprio Urreta? Quantos mais anos precisará este último para se afirmar?

  • Existe uma enorme profusão de jogadores para a ala esquerda mas, para além da adaptação de Ola John, não há uma alternativa credível a Sálvio.

  • Rúben Amorim, depois de se portar mal com JJ e o Benfica e nem sequer se ter imposto em Braga não apenas faz parte do plantel mas renovou por 4 anos. Isto só me faz confusão a mim? Temos aqui um novo Porfírio? Amorim já mostrou que não tem suficiente qualidade para ser titular do Benfica e para suplente não precisava de um contrato tão longo.

  • Neste momento temos 6 centrais. Admitindo que Garay sairá continua a haver um central excedentário. Para mim é Jardel, mas para JJ não sei. Isto para já não falar de Roderick...

  • Quanto a Carlos Martins continuará a receber a receber um ordenado para durante um ano inteiro para produzir zero, ou pior ainda, prejudicar a equipa nos momentos cruciais?

  • Quanto às opções para o meio campo, continua a existir um claro défice de soluções. Espero que a aposta nos Andrés seja para continuar mas claro que se percebe que estes jogadores ainda precisam de crescer para se poderem afirmar, não devendo pesar sobre eles a responsabilidade de substituir Enzo e Matic quando estes não puderem jogar. Rúben, já o disse, não me parece solução para mais do que meia dúzia de jogos por época (até porque é muito vulnerável a lesões) pelo que a meu ver continua a faltar um jogador para o meio campo. Caso Matic saia, então o caso muda de figura, pois este grande jogador vale mesmo por dois. Nessa eventualidade o Benfica precisará no imediato de um "trinco" com muito pulmão e capacidade física, algo que não é fácil de encontrar, para além do tal outro jogador para substituir um dos dois titulares e promover a rotação.
Em suma, apesar de algumas das contratações me parecerem bastante positivas, nomeadamente resolvendo (esperamos) o problema da defesa, quer nas laterais quer no centro, o plantel continua a ser desequilibrado e carente nalgumas posições, designadamente no centro do campo. Para além disto conta (ainda) com um conjunto de jogadores que não me parecem ter categoria suficiente para estar no Benfica e cuja simples presença no plantel me parece inexplicável.