quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Mourinho demonstra a sua "estrela"

Escrevi aqui há algumas semanas que Mourinho dificilmente voltaria a ter o sucesso que alcançou aquando da sua primeira passagem pelo Chelsea. Desde então, o treinador português tem conseguido excelentes resultados, mostrando que as suas competências se mantêm num nível de topo. Não está (ainda) em primeiro lugar na Liga mas remeteu já os principais contendores ao título para posições pouco habituais na tabela (Man City 7º, United 8º) a 4 e 6 pontos de distância e tem vindo a subir na tabela, estando já em 2º com os mesmos pontos do Liverpool. Mais para a frente veremos se serei "obrigado" a reconhecer uma previsão errada quanto ao sucesso ou insucesso desta passagem de Mourinho pelo Chelsea mas no imediato há que reconhecer que a equipa mostra progressos muito grandes e que o treinador português merece todo o crédito por esse facto.

Este fim-de-semana disputou-se uma jornada importante em Inglaterra, com o Chelsea a receber o Man City no Domingo, num jogo com implicações de relevo para a corrida pelo título.

O Arsenal e o Liverpool venceram os seus jogos (relativamente "fáceis"), mas o mais relevante é que o Chelsea venceu o City, com um golo no último minuto, subindo assim do 5º para o 2º lugar.

A "estrela" de Mourinho voltou a brilhar, mas importa reconhecer que a equipa faz por isso, aproveitando depois de forma implacável os erros das equipas adversárias. Tal como aconteceu com o City, voltou ontem a acontecer com o Arsenal, derrotado em casa pelos "blues" para a Taça da Liga Inglesa.

Foi também engraçado ver a festa de Mourinho aquando da vitória sobre o City, correndo para abancada e festejando com os adeptos (depois explicaria que era o seu filho que ali se encontrava).

O Tottenham jogou mal, lento e previsível mas conseguiu os 3 pontos, que o levaram de novo ao 4º lugar, a um ponto do 2º e 3 do 1º, o Arsenal.

Na próxima jornada voltará a haver jogos grandes, como o Arsenal-Liverpool, o Newcastle-Chelsea ou o Everton-Tottenham. A não ser que se registem empates em todos estes jogos, haverá novas mudanças na frente.

O Manchester United vai ao terreno do Fulham (jogo que se prevê difícil) e o City recebe o Norwich de Wolfsvinkel, que se encontra nos lugares de descida. Já a equipa sensação da prova até ao momento, o Southampton, vai ao terreno do Stoke, que se encontra também nos últimos lugares.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Os (novos) incidentes do dragão e o pseudo "dente por dente"

Assistiram-se a cenas inconcebíveis nas imediações do estádio do dragão, desta vez aparentemente motivadas por um grupo de adeptos (?) do Sporting, em parte ligados a skinheads.
Este grupo quis ir lançar o pânico e a confusão para o Porto, devolvendo na mesma moeda diversos episódios e comportamentos dos "superdragões", dos quais inclusivamente o seu líder se gabou num "livro".
Simplesmente a coisa correu mal ao grupo de vândalos sportinguistas...

Por muito organizados que estivessem (e a história dos acontecimentos está longe de estar feita), a verdade é que terão subestimado os seus "inimigos" e levaram um enorme arraial de pancada.
Pelos vistos, os ditos "superdragões" não foram apanhados desprevenidos e, aproveitando a intervenção da polícia e dos próprios stewards, desbaratou o grupo, que passou por muito maus bocados.

A violência leva à violência e isso é algo que quem advoga o "olho por olho, dente por dente" (forma de justiça em vigor há milhares de anos, que a civilização substituiu por formas muito mais humanas de reposição) deveria ter em mente.

A não ser que sejamos vândalos, marginais e criminosos dispostos a tudo, perderemos sempre quando entrarmos em confrontos deste tipo. E mesmo que sejamos uns durões, uns valentões, como muitos que na internet dizem que fazem e acontecem, arriscamo-nos, como bem perceberam aqueles sportinguistas, a que as coisas corram muito mal. Porque, como dizia alguém que eu conheci, "super-homem só há um e está numa cadeira de rodas" (e infelizmente já nem isso é verdade porque o actor entretanto faleceu). 

Por isso, deitar pratos de sopa pela cabeça de um jogador de basquete, por muito idiota e mal comportado que este possa ter sido ou seja, longe de ser uma forma de "retribuição", é sim uma enorme cobardia, pior da que aquela de que Marçal é acusado. O Benfica tem que se distanciar em absoluto destes comportamentos. 

É um facto que a violência e intimidação fazem parte do modus operandi do Porto e que são instrumentais para amedrontar adversários e árbitros e daí recolher dividendos desportivos. Mas a resposta nunca pode ser tornarmo-nos iguais a eles, abandonando os princípios que formam aquilo que somos. Temos que ser inteligentes e firmes. Não ter medo mas não entrar no jogo deles, porque aí perdemos. Temos, resumidamente, que ser capazes de ser melhores e de os derrotar dentro de campo, algo que nos últimos anos não tem acontecido. Se o conseguirmos, ganhamos uma autoridade que hoje não temos, outro peso no futebol e na sociedade e poderemos começar a mudar o presente estado de coisas.


PS - pelos vistos agora no dragão os stewards até já roubam bandeiras à claque adversária perante a completa passividade da polícia. É mais um exemplo de como existe uma lei e uma polícia no País e uma outra, especial, na cidade do Porto. Esta realidade tem que ser constantemente denunciada pelos dirigentes do Benfica, acentuando a situação de favor e o regime de proteccionismo de que o clube do Porto beneficia.