quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Seleções orgulham o País!

A jornada que se disputou esta semana pelas seleções nacionais foi gloriosa e orgulhou tremendamente todos os Portugueses.
Com toda a justiça ultrapassamos a Suécia e estaremos no Brasil, um feito muito importante, sobretudo se atendermos a que se trata do 4º mundial consecutivo em que marcaremos presença. O facto do mesmo se jogar no Brasil é um motivo de redobrada alegria. A forma como foi alcançado, com o brilhantismo de Ronaldo a atingir o seu pico desde que o madeirense representa a seleção, é um motivo adicional de alegria e regozijo.
Para além disso, os Sub-21 venceram em Israel, também com momentos de grande futebol e muitos golos. A exibição e o golo de Bernardo Silva, bem como os golos de Ivan Cavaleiro e André Gomes são notícias excelentes também para o Benfica. Agora sim a formação parece estar lançada e bem. O trabalho começa a dar frutos e deve-lhe ser dada continuidade. Assim temos futuro.
É verdade que na seleção principal tivemos apenas André Almeida entre os convocados, mas se olharmos para os 11 que entraram em campo, percebemos que nenhum jogador de campo actua no nosso campeonato: João Pereira (Valência), Pepe (Real Madrid), Bruno Alves (Fenerbahçe), Coentrão (Real Madrid), Miguel Veloso (Dynamo de Kiev), Moutinho (Mónaco), Meireles (Fenerbahçe), Nani (Manchester United), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Hugo Almeida (Besiktas). O guarda-redes Patrício  está no Sporting, que viu também ser convocado William Carvalho, ao passo que o Porto teve apenas Josué e Varela. 
Não é a situação ideal, nem desejável, mas o quadro comparativo mostra que não estamos longe dos nossos rivais e que com outras opções (por exemplo a inclusão de Rúben Amorim ou Nélson Oliveira) estaríamos em pé de igualdade. No futuro esperemos ter mais jogadores, para o que teremos evidentemente que apostar mais nos portugueses na equipa principal do Benfica. As indicações do passado recente mostram que isso é possível.

Na Suécia, a seleção AA tinha uma missão difícil. Esta Suécia empatou a 4 com a Alemanha, o que mostra que tem capacidade ofensiva. Um golo de vantagem não dava grande margem. O frio seria também um factor que poderia beneficiar os suecos.

Foi surpreendente para mim constatar que a postura dos suecos esteve muito longe da civilidade habitualmente atribuída aos nórdicos. Queixumes do jogo de Lisboa (do quê nunca se chegou a perceber), tentativas de desestabilizar, que incluíram "concertos" à porta do hotel onde estava a seleção e uma inqualificável assobiadela ao hino nacional. Este último acto em particular é vergonhoso e injustificável, para não dizer indesculpável.

A seleção esteve à altura do momento e da responsabilidade e claro que Ronaldo brilhou mais que todos os outros. Foi gigante e carregou a equipa às costas. Ele é mesmo o melhor jogador de futebol do mundo neste momento, disso não há dúvidas. É o melhor atleta, um goleador único e um profissional extraordinário que ontem finalmente assumiu em pleno o seu estatuto dentro da seleção. Mas todos estiveram bem e mereceram o triunfo. Parabéns a todos e a Paulo Bento. Obrigado por nos darem mais esta alegria. Até ao Brasil!