quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

EPL - 3 da frente seguem, United afunda-se, AVB salva-se in extremis

E um poker de golos magníficos Suárez! Assim se pode resumir em duas linhas a jornada de terça e quarta da Liga Inglesa, que confirmou o que disseramos anteontem: o United está fora da corrida, que agora me parece a 3: Arsenal, Chelsea e Manchester City.

É verdade que o Liverpool deu uma boa resposta, após a derrota do fim-de-semana contra o Hull, vencendo o frágil Norwich de Wolfswinkel por 5-1. No entanto parece-me demasiado irregular para se poder manter na corrida por muito tempo. Arsenal, Chelsea e agora também o City (que finalmente voltou a vencer fora) parecem agora lançados e determinados a não deixar escapar muitos pontos. 

O Everton está a fazer um campeonato interessante e tem os mesmos pontos do seu rival. Será uma equipa a ter em conta para o 4º lugar.

Quanto ao United, continua em depressão. Nova derrota, precisamente frente ao Everton, e a queda para o 9º lugar, já a 12 pontos do líder. Por aqui se vê a importância de um treinador... Cada vez mais Moyes parece ter sido uma escolha demasiado errada para o colosso de Manchester. 

Voltando ao trio da frente, de notar que o Arsenal venceu tranquilamente apesar de Wenger ter promovido algumas mexidas na equipa, a mais relevante sendo a inclusão de Bendtner (um regresso muito tempo depois) no lugar de Giroud que não saiu do banco. Em breve o Arsenal contará, como já referimos, novamente com Podolsky, o que lhe dará mais opções e tornará a equipa ainda mais temível.

Quanto ao Chelsea venceu mas com grande dificuldade o Sutherland, na casa deste. Num jogo de grande emoção, esteve a perder por 1-0, deu a volta, deixou-se empatar a 2, depois esteve a vencer por 4-2 e acabou a defender com unhas e dentes o 4-3 final. Torres voltou ao 11 mas mais uma vez não foi feliz, falhando um golo de baliza aberta e não facturando. Bem esteve Hasard, que marcou 2 golos. O lendário Lampard também marcou mais um. Estranha continua a ser a ausência de David Luiz da equipa. Embirração de Mourinho? É certo que o central falhou num lance que resultou em golo há várias jornadas atrás mas um atleta da sua categoria e dedicação não merece passar por esta situação. 

O City venceu sem contestação no terreno complicado do WBA de Steve Clarke (que empatou em Stanfford Bridge num jogo que teria ganho se não fosse um penalty inexistente para o Chelsea no último minuto dos descontos). Aguero marcou mais um mas foi ultrapassado na tabela de melhores marcadores graças ao poker de Suárez.

Quanto ao treinador português Villas-Boas, está a passar por um mau bocado em Inglaterra mas conseguiu vencer nesta ronda, com dois golos aos 71 e 82 minutos a darem a volta a um resultado desfavorável que poderia ter sido a gota de água que fazia transbordar o copo da paciência de adeptos e dirigentes do Tottenham. 

Andebol do Benfica vence no Porto!

Imagem retirada do site "A Bola"


O Benfica foi na noite passada ganhar ao pavilhão do Porto - onde não vencia à 23 anos! -  por 25-23.
Foi uma vitória muito importante, numa modalidade na qual, como aqui assinalei, não temos sido muito vencedores nos últimos anos e o Porto, pelo contrário, tem tido hegemonia.
Confirmada a eliminação (esperada) das competições europeias, a equipa deu uma excelente resposta no pavilhão do Porto, vencendo com toda a justiça e passando para o comando da classificação.
Tratava-se de um jogo importantíssimo num campeonato altamente competitivo e no qual o Benfica tem estado bem, faltando porém este teste de fogo, tanto mais que havíamos perdido na Luz contra o mesmo adversário, num jogo algo atípico. 
Na próxima quarta-feira o Benfica enfrentará o Sporting na Luz, nomeadamente no pavilhão nº 2. Uma vitória permitiria alcançar uma vantagem interessante, a 7 jornadas do fim da fase regular. 
O apuramento do campeão faz-se através de uma fase final para a qual se qualificam as 6 equipas melhor classificadas, que jogam entre si a duas voltas. As equipas começam com 50% dos pontos alcançados na primeira fase. Quem tiver mais pontos no fim da fase final é campeão. Nessa medida, quanto mais pontos o Benfica conquistar na fase regular melhor a posição em que se encontrará á partida para a fase final. 


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Inglaterra - corrida a três

Face aos resultados das duas últimas jornadas, parece definir-se em Inglaterra um quadro de três grandes candidatos à conquista da Liga Inglesa: o Arsenal, que face à história recente constitui uma agradável surpresa, o Chelsea, que para além de contar com alguns grandes jogadores tem na competitividade de Mourinho um forte argumento a seu favor e o Manchester City, claramente o mais forte dos três em termos de plantel.

Manchester United e Tottenham, a 9 e 10 pontos respetivamente do 1º lugar, parecem já fora da corrida. O United até estava a fazer uma boa recuperação mas dois empates nos últimos dois jogos deitaram tudo a perder. É o problema de já se ter um atraso considerável: qualquer perda de pontos que noutras circunstâncias seria recuperável abre ainda mais o fosso que começa a ser cada vez mais irrecuperável. Com a saída de Fergusson era de prever que o United se ressentisse. Isso mesmo eu já aqui previra. A queda está porém a ser muito abrupta. Quanto ao Tottenham, depois da humilhação dos 6-0 e a 10 pontos da liderança, deverá dar-se por contente se conseguir um lugar europeu.

Quanto ao Liverpool, começou bem e conseguiu-se aguentar bastantes jornadas nos lugares de topo mas sempre pareceu poder perder pontos a qualquer momento. Tem grandes jogadores mas ainda não será esta época que regressará ao primeiro lugar, essa é a minha convicção. 

Do trio Everton, Newcastle e Southampton, a equipa de Liverpool parece a mais consistente. Tratam-se de equipas que lutarão possivelmente por lugares europeus, logo abaixo do pódio. 

Voltando aos candidatos, o Arsenal parece de regresso aos melhores anos de Wenger mas ainda é cedo para ter certezas. A equipa joga neste momento um grande futebol e terá em breve Podolsky de regresso. No entanto vêm a caminho testes de fogo, nomeadamente o jogo fora com o Manchester City, antecedido pela recepção ao Everton, que será também um jogo complicado. A 23 de Dezembro joga-se um emocionante Arsenal-Chelsea. Depois disso será altura para reavaliar a consistência da candidatura do Arsenal.

Quanto ao Chelsea, apesar de alguns dissabores e de mais mudanças do que é habitual em Mourinho, a verdade é que a equipa está em 2º lugar, a apenas 4 pontos do Arsenal e à espreita de algum deslize do rival de Londres. Os próximos três jogos são relativamente fáceis e a equipa pode-se consolidar somando 9 pontos. 

Finalmente no que toca ao City, sendo o mais forte dos candidatos em termos de jogadores e mesmo de colectivo quando está inspirado, acaba por ser uma equipa muito irregular que está a ter problemas surpreendentes quando joga fora. Em 25 pontos conquistados apenas 4 o foram fora de casa! Algo de inusual, para não dizer insólito. Caso o City consiga alterar este estado de coisas e comece a vencer fora de casa, chegará certamente muito perto do primeiro lugar. Neste momento porém, é apenas 3º, a 6 pontos do Arsenal.

Entre hoje e amanhã disputa-se mais uma jornada, com jogos, nomeadamente o Chelsea para ver em directo na Benfica TV.


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Adeptos do Porto atacam de novo

Aquilo que se passou à porta do estádio do Porto é uma vergonha que mais uma vez demonstra bem a qualidade dos seus adeptos. Não serão todos assim, mas seguramente uma grande parte, senão a maioria é de facto constituída por gente selvagem e marginal que não tem noção dos limites e que noutro país estaria certamente já atrás das grades. 

Ailás, foi bem sintomático ver que, no Trio d'ataque, foram os comentadores afectos ao Benfica e ao Sporting quem mais firmemente condenou o que se passou, ao passo que o do Porto depois de dizer  en passant que a violência era condenável afirmou convictamente que as pessoas tinham o direito de se manifestar e "indignar", pondo aí todo o ênfase.

O que se passou foi lamentável a todos os níveis. Se é verdade que já houve situações em que adeptos do Benfica insultaram a equipa, nunca a coisa atingiu proporções sequer parecidas ao que se viu nas imediações do "dragão", e isto em relação a uma equipa que perdeu um jogo por 0-1 mas não deixa de ser a campeã em título. Isto não se chama "exigência", como alguns iluminados querem fazer crer: chama-se selvageria, chama-se demência, chama-se estupidez e desrespeito.

Pelos vistos porém, estão todos bem uns para outros. Para além da tal figura de Miguel Guedes, outras "autoridades" do Porto já se pronunciaram, nomeadamente um tal de Rui Quinta, ex-adjunto de Vítor Pereira, que diz que o que aconteceu "faz parte da cultura e da essência do clube", acrescentando ainda que "há muitos que gostavam de estar dentro do autocarro a levar com tochas". 

Para este adjunto, os acontecimentos não são apenas normais (algo que aqui vimos dizendo há muito mas que os portistas tentam desmentir). Não, eles são  intrínsecos à cultura e mesmo à essência do clube, quer dizer à sua identidade e natureza!

2. No dia seguinte, Domingo, jogaram o Sporting e o Benfica. No entanto houve pelo menos um adepto do Porto que voltou a "atacar": Manuel Queirós, ainda e sempre. Ele está em todo o lado! É na TVI, é na TSF, é na Antena 1, é no Diário de Notícias, é no Jornal de Notícias...

Que este jornalista/comentador é um adepto do Porto é perfeitamente evidente e aliás consensual entre os próprios adeptos do clube que o reconhecem como um dos seus. De acordo com um blog portista, há vários anos atrás Queirós teria tecido críticas a algumas opções de gestão do seu clube e por isso teria sido colocado num "index" ou lista negra do presidente do Porto, mas entretanto teria já havido uma reaproximação entre os dois. 

Tudo isto para dizer que ontem se comprovou pela enésima vez a total incapacidade deste comentador para ser isento e o carácter quase doentio dos seus comentários. De facto, depois de ouvir os seus comentários na rádio fiquei com uma ideia do jogo e uma imagem mental dos lances tal que quando vi as imagens televisivas fiquei estupefacto. Para ficarem com uma ideia do que falo, vou-vos aqui deixar apenas três exemplos, flagrantes e vergonhosos do que disse Queiroz na emissora pública, Antena 1: 

37 minutos: "o Benfica limita-se a defender, a não querer sofrer golos e portanto a jogar de forma muito...". Nesta altura é interrompido pelo relatador: "Atenção... Goloooo, Benfica".

63 minutos (golo de Lima de livre): "a falta era ao contrário".

69 minutos (expulsão do jogador do Rio Ave): "a expulsão é cruel, a falta foi no meio-campo do Benfica".

Qual o meu espanto quando vi as imagens na televisão. Não pensava ser possível alguém ser tão parcial, tão cego, tão incapaz de despir a pele de adepto e comentar na rádio pública.

Temos Benfica e temos campeonato

As melhores notícias do início de época para o Benfica foram as de que, apesar do mau começo e dos diversos problemas que então ocorreram, os objectivos não foram comprometidos.

A partir daí, foi possível ir aos poucos recuperando a estabilidade interna, a forma de alguns jogadores, a qualidade de jogo e pontos na tabela classificativa. O regresso de Cardozo surgiu em bom tempo e foi crucial naquela altura. Foi uma espécie de abono de família. Os "regressos" de Lima e Rodrigo também em boa hora vieram, agora que Cardozo se lesionou.

Claro que esta recuperação do Benfica não teria sido possível sem os deslizes e agora a verdadeira crise que o Porto está mergulhado. Na época passada, à jornada 11, Benfica e Porto dividiam o comando com 29 pontos, mais 5 do que a equipa de Paulo Fonseca agora possui.

Neste momento, terminada a fase inicial do campeonato e entrados já no segundo terço do mesmo, acabou-se o período de adaptações e experiências e começa agora a fase a doer. Estou crente de que o Benfica está preparado para a enfrentar.

De há algumas semanas para cá (apesar da longa paragem no campeonato) o Benfica vem em crescendo. Os jogadores novos parecem adaptar-se e a equipa começa finalmente a ter uma ideia de jogo e a saber gerir os diversos momentos das partidas. Ela está mais coesa e segura. 

Claro que persistem problemas e aspectos a melhorar. O nível exibicional ainda não é o melhor, nalguns jogos não criamos muitas oportunidades, continuamos a conceder golos que pareciam evitáveis. Existe porém uma melhoria, um progresso visível e é isso que nesta altura deve ser sublinhado e saudado.

O jogo com o Rio Ave demonstrou uma equipa adulta, segura, não muito fulgurante mas eficaz, que teve como único senão o golo sofrido já na segunda parte. Muitos aspectos merecem ser destacados: o regresso aos golos de Lima, mais um golo e subida de forma de Rodrigo, uma boa ligação entre Fedja e Matic e uma segurança e consistência defensivas que duraram quase 90 minutos.



O tempo e a competição poderão dar a esta equipa mais rotação, solidez e, resumindo, maior capacidade. Acredito que o meio-campo ganhará mais rotinas e com isso oferecerá maior consistência à equipa e que Djuricic, Sulejmani e Markovic contribuirão mais ainda durante esta época. Com os regressos de Rúben e Sálvio também ficaremos mais fortes. Já Ola John parece não se ter adaptado e talvez fosse melhor sair, por empréstimo ou a título definitivo, já em Dezembro.  

Agora não tenhamos ilusões: não deverá haver facilidades. O Sporting é mesmo candidato e o mais natural é o Porto começar a ganhar os seus jogos e deixar de perder pontos desta forma, com ou sem Paulo Fonseca. Em relação ao Sporting, importa perceber que já jogaram em Braga, em Guimarães e no dragão e já receberam o Benfica. O Benfica pelo seu lado foi a Alvalade, ao Funchal jogar com o Marítimo e a Guimarães, tendo recebido o Braga. Finalmente o Porto apenas recebeu o Sporting, tendo depois perdido pontos em duas deslocações à grande Lisboa (dois empates contra Belenenses e Estoril).

O Sporting tem uma equipa jovem e ambiciosa e um treinador competente e equilibrado que faz uma boa leitura dos jogos. O Sporting é uma equipa perigosa quando tem um avançado concretizador e embala para sequências de vitórias para lá do ciclo do Natal, pelo que não deve ser subestimado como adversário, apesar das más épocas que tem feito no passado recente. Lembro-me por exemplo da época em que foi campeão com Inácio e na qual contava com Acosta ou daquela em que tinha João Pinto e Jardel. Em ambas conseguiu não perder na Luz e em ambas contou com penalties inexistentes para o conseguir. Com um historial de dois jogos de choradinhos sportinguistas a propósito das arbitragens na Luz com supostos 2, 3 e até 4 penalties que supostamente teriam ficado por assinalar a seu favor, teremos que ser cuidadosos a dobrar.

O Porto parece muito abalado e tem claramente o calendário mais difícil dos 3 candidatos. Está atrás e desmoralizado e isso é bom. Mas não deve ser menosprezado, como as duas últimas épocas bem demonstram.

Em suma e olhando para o Benfica, mantenho que temos o melhor plantel e penso que estamos novamente numa boa posição para poder chegar ao fim em primeiro. Para isso precisamos porém de ganhar mais regularidade e consistência. Precisamos igualmente de vencer o Porto e o Sporting em casa (jornadas 15 e 18). Em campeonatos muito disputados (como serão quase sempre campeonatos curtos como o nosso, com apenas 30 jornadas), as vitórias sobre os rivais dão, para além dos 3 pontos e da vantagem sobre os competidores, aquele élan que motiva as equipas para as conquistas finais.