quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Facilitar é fatal

Os exemplos multiplicam-se e não afectam apenas os "perdedores". Ainda ontem Mourinho (um vencedor nato de acordo com todos) viu a sua equipa empatar em casa com uma das piores equipas da Premier League. Isto aconteceu na jornada que antecede o jogo grande com o Manchester City e já depois do empate do Arsenal, que significava que uma vitória do Chelsea o colocaria à frente deste adversário.

Da mesma forma o Benfica empatou em casa com o Arouca, num dos momentos baixos desta época. 

Vem isto a propósito do jogo contra o Gil Vicente. É um adversário fraco, quando comparado com o Benfica? Certamente, mas o facto de isso ser sabido não apenas não ganha jogos como muitas vezes acaba por ser um factor que joga contra a equipa mais forte. Por isso, para nos colocarmos a salvo de qualquer surpresa teremos que entrar fortes e nos manter concentrados o jogo todo de forma a vencer e, se possível, evitar que Maxi e Enzo se exponham a cartões amarelos, visto que o jogo com o Sporting vem a caminho. 

O Benfica está em 1º e precisa de consolidar essa posição nas próximas jornadas. Para isso terá que vencer os seus jogos, incluindo os mais "fáceis". Facilitar é fatal. Pode ser a diferença entre estar a celebrar ou a lamentar quando a época acaba. 


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Arsenal escorrega, Liverpool esmaga

O Arsenal empatou ontem com o Southampton e pode perder já hoje a liderança, caso Manchester City e/ou Chelsea vençam os respetivos jogos. Seria um facto muito importante nesta liga Inglesa, pois o Arsenal é líder há praticamente uma volta, sendo imprevisível a forma como o mesmo se reflectiria na moral quer do Arsenal quer dos seus opositores.
Para além disso, vêm a caminho jogos grandes, em que vários dos candidatos aos primeiros lugares jogarão entre si, designadamente um Man City-Chelsea e um Liverpool-Arsenal, que serão como que um baralhar e voltar a dar nesta Liga. Veremos como daí saem os candidatos.
De qualquer modo antes disso há ainda que terminar a presente jornada, tendo o Chelsea uma tarefa fácil, ao receber o aflito West Ham que vai de mal a pior, ao contrário do City que vai precisamente a Londres mas para enfrentar o Tottenham.
Em relação aos jogos de ontem, o Liverpool voltou a mostrar todos os seus argumentos ofensivos, desmantelando o futebol trabalhado, de posse de bola e passe no pé do Everton. Foi uma noite dura para os adeptos deste clube que, diga-se, está  a fazer uma excelente campanha. No entanto perder um derby opr números tão expressivos nunca pode ser fácil. E o Liverpool ainda falhou um penalty, no que seria o hat-trick de Sturridge. 
Quanto ao Arsenal, entrou pessimamente no jogo, deixando o Southampton jogar quase á vontade durante 45 minutos, sofrendo um golo. Depois do intervalo a equipa voltou com mais atitude e até deu a volta ao resultado mas a vantagem durou pouco mais de um minuto. Nota negativa para Wenger que depois de provavelmente não ter preparado bem a estratégia para a partida não teve a capacidade para mudar o rumo do jogo a partir do banco. Penso que Podolsky tem lugar nesta equipa e que lhe daria um poder de fogo que claramente lhe falta. Assim o Arsenal não vai chegar , ou seja, ao título.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

André Gomes e as contratações de Inverno

Faltam três dias para o fecho do mercado de Inverno e parece agora certa a saída de André Gomes que se juntará a Matic.
Embora não tenha havido (tanto quanto sei) confirmação oficial por parte do Benfica, o passe do jogador terá sido de facto vendido ao empresário Jorge Mendes por valores da ordem dos 15 milhões de euros, abrindo a potra a que este possa agora negociar com clubes interessados a transferência do atleta.
Entre estes clubes perfilam-se, pelo menos, o Mónaco e o Liverpool. A imprensa inglesa e internacional em geral dá conta deste interesse.

A confirmar-se é algo que lamento. André Gomes é um jogador que gosto muito de ver actuar (embora não tenha tido muitas oportunidades de o fazer este ano) e penso que com a saída de Matic se abria mais espaço para a sua afirmação. É, até ver, o "produto" mais conseguido da formação. Tem uma técnica muito apurada, muita qualidade a tratar a bola e visão de jogo. É também um jogador bastante alto (1,88 m), o  que à partida é mais um dado a seu favor. Não é muito rápido e por vezes não é suficientemente "intenso" como agora se diz. Penso que é por isso que Jorge Jesus não apostou mais nele.

Dito isto, claro que 15 milhões de euros é uma quantia muito considerável, sobretudo por um jovem jogador cujo valor não está ainda definitivamente estabelecido. Veremos o que o futuro trás e se a nossa formação é capaz de produzir mais jogadores com a sua qualidade e características.

Este período de transferências teve até agora como pontos mais significativos as transferências de Matic e Mata, ambas envolvendo o Chelsea.

Segundo se diz em Inglaterra, o Manchester United estaria interessado no sérvio para reforçar o seu meio campo, que tem denotado fragilidades. Sabendo desse interesse, o Chelsea ter-se-ia antecipado (não sendo claro se havia alguma cláusula ou acordo de cavalheiros que dava preferência ao clube londrino no caso de um regresso a Inglaterra) contratando o jogador. 

Na realidade o Chelsea não tinha uma necessidade imediata de contratar Matic, uma vez que tem para jogar no meio campo Ramirez, Lampard, Obi Mikel e o próprio David Luiz. Até ontem, o Chelsea tinha ainda Essien, mas o veterano jogador transferiu-se para o Milan.

Outra transferência marcante é a de Mata, cujos valores parecem muito exagerados. Na realidade transferências entre clubes grandes em Inglaterra costumam motivar uma inflação dos montantes envolvidos. No caso o Chelsea até tinha pago uma verba também elevada (26 milhões de euros) quando há duas épocas o contratou ao Valência. Seja como for, duvido que seja o jogador que vai resolver os problemas do Manchester United, cuja época tem sido penosa.

Para o Benfica, os melhores "reforços" de Inverno seriam sem dúvida Cardozo e Sálvio. Não vejo no mercado ninguém melhor do que eles.