quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Mentirosos compulsivos?

Aqui há uns dias atrás o clube do Porto "anunciou" na sua página do Facebook que Fernando tinha renovado. Esta notícia (?) foi reproduzida por praticamente toda a comunicação social especializada. A título de exemplos:


Na realidade esta renovação já tinha sido anunciada antes, pelo menos em duas ocasiões. Em Dezembro já estava "tudo acertado" e em Janeiro Fernando "acertava a renovação":


No entanto, desta vez a fonte é "oficial", é o próprio FC Porto na sua página do Facebook, informando-se inclusivamente da duração do contrato: até 2017.

O caso estaria pois aparentemente encerrado. 

No entanto, conhecida a pouca credibilidade dos dirigentes do Porto, o seu fraco registo matéria de compromisso com a verdade, permaneceu no ar uma dúvida. Aliás em Inglaterra já se falava num acordo do City com o médio, desejado também pelo United. Ora não tendo Fernando renovado até agora custava a perceber que o fosse fazer a 4 meses do seu contrato expirar e poder negociar livre com qualquer clube.

Agora surge o empresário de Fernando, uma personagem pouco recomendável ligada às escutas do apito dourado, a dizer que Fernando jogará com toda a certeza em Inglaterra para o ano. Confusos? Eu também. Mas se nos lembrarmos que por aquelas bandas a verdade é um valor muito relativo estaremos mais perto de compreender todo este caso.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Rescaldo do derby

Quase tudo já foi dito ontem. Programas e mais programas televisivos cobriram todos os ângulos do derby, desta vez felizmente sem "casos" de arbitragem para analisar. 

Depois do que se passou no Domingo esta exibição categórica foi muito importante para afastar da memória aquela péssima experiência e dar uma alegria aos benfiquistas que, como aqueles dois adeptos algarvios que dormiram à porta do Estádio durante duas noites, tanta dedicação oferecem e tantos sacrifícios fazem pelo seu clube. Esperemos que quem é responsável pela manutenção do Estádio tenha aprendido bem a lição e que episódios deste tipo nunca mais se repitam. Esteve bem o Presidente do clube em pedir desculpa aos adeptos pelo que se passou e em lhes dedicar esta vitória tão clara e esta exibição tão bem conseguida. 

Entre tempestades e vendavais a equipa emerge como líder incontestado. Há porém muitas mais marés e procelas pela frente, pelo que teremos que ser sempre equipa, sempre manter um espírito de unidade e entreajuda, sem deslocados triunfalismos ou idiotas celebrações antecipadas como foi o timbre - há que o dizer com clareza - de grande parte da blogosfera benfiquista no ano passado, que tiveram o desfecho que se conhece.

O Benfica tem agora que ganhar o maior número de jogos seguidos possível, a começar já pela próxima jornada em Paços de Ferreira, não podendo ser negligente nem sobranceiro em nenhuma ocasião. Se formos vencendo, a pressão vai aumentando nos adversários, que sabem que quaisquer pontos perdidos podem equivaler a perder definitivamente o contacto com a liderança. Por outro lado, quanto mais firme e autoritária for a nossa liderança mais os adversários começam a perder a esperança.

É também esta a altura de estar atento a certas manobras habituais no Porto. O ano passado, quando liderávamos com 5 pontos de vantagem o Porto esteve perto de perder pontos em diversos jogos, tendo então aparecido decisões arbitrais claramente para o beneficiar, perante um silêncio benfiquista que foi mal calculado. Quando falámos (na véspera do jogo com o Estoril) já foi tarde demais e a destempo. O Benfica tem que estar atento e alerta e perceber que NADA está ainda resolvido.

Mudando de agulha para o campeonato inglês (que este ano voltei a acompanhar graças à Benfica TV), recordo que temos esta noite um Arsenal-Manchester United às 19.45h. É óptimo ver futebol descontraidamente depois da "nossa" parte estar feita, ou seja após uma vitória do nosso clube.

Na jornada passada o Chelsea de Mourinho passou para a frente, após o empate do City e o Arsenal se ter espalhado ao comprido em Liverpool. Foi a segunda derrota embaraçosa do Arsenal, desta vez absolutamente cilindrado (5-1) pelo melhor Liverpool dos últimos anos. Para quem não viu o jogo, aos 20 minutos o Liverpool já vencia por 4-0! Os reds foram de facto infernais, destacando-se as exibições de Sterling e Sturridge, bem como os dois golos na sequência de canto da autoria de Skrtel.

Apesar disto e em virtude do empate do Chelsea com o WBA, o Arsenal pode voltar à liderança hoje se vencer o Manchester United. A ex-equipa de Fergusson vai de mal a pior. Na última jornada empatou com o Fulham, o lanterna vermelha, depois de ter estado a perder e de ter dado a volta ao resultado. Nos últimos 6 jogos o United venceu apenas 2. Moyes está a fazer um péssimo trabalho, apesar de alguns analistas ingleses considerarem que ele acabará por ter sucesso depois de uma fase de adaptação. Fala-se de um fim de ciclo e de uma "limpeza de balneário". Tenho as maiores dúvidas que o problema esteja nos jogadores. Embora muitos sejam de facto veteranos e seja bom pensar numa renovação gradual, penso que o problema está mesmo na liderança. Não me parece que Moyes tenha atributos para levar este United de volta aos títulos. 

Ainda assim é um jogo grande, com grandes talentos em campo que conto ver, tranquilamente, esta noite. 


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Categórico!

O Benfica fez um dos melhores jogos da época e venceu de forma absolutamente inquestionável, não tendo dado qualquer hipótese ao adversário. Em poucas ocasiões como hoje as estatísticas contarão tão fielmente a história do jogo: posse de bola, remates à baliza e cantos, foi tudo nosso com um domínio avassalador. 
Pareceu-me desde o início muito arriscado para o Sporting jogar com Montero e Slimani, mas dada o adiamento do jogo o único trunfo dessa opção - o efeito surpresa - acabou também ele por ser anulado, resultando numa opção quase desastrosa. Faltaram mais um ou dois golos para o Sporting sair da Luz goleado e desmantelado.
Como Jorge Jesus assinalou, não é fácil jogar de igual para igual com o Benfica na Luz. O Sporting tentou fazê-lo e obviamente saiu-se (muito) mal.
Tacticamente o Benfica foi quase perfeito.
Confesso que ainda tinha algum receio em relação a Fedja, que ainda não tinha enfrentado nenhum teste verdadeiramente forte, nomeadamente num esquema de apenas dois homens no meio. O substituto de Matic deu porém uma excelente resposta. Gostei muito da sua exibição: recuperou muitas bolas (a primeira delas decisiva para a vitória) em várias zonas do terreno e ainda construiu bem. Sempre simples e com qualidade.
Enzo foi gigante, tal como Gaitan. Luisão foi imperial. Aliás toda a equipa esteve muito bem. Não consigo pensar em nenhuma exibição menos conseguida.
O Benfica teve uma excelente atitude e uma excelente entrada em campo, vencendo a maior parte dos duelos, tal como acontecera contra o Porto.
Foi uma vitória indiscutível, categórica, limpinha. A arbitragem foi impecável. O único reparo que eu faria é que Adrien merecia um amarelo mas o árbitro não o deu porque claramente não viu.
É importante perceber que o campeonato não está ganho. O Benfica é, penso que isso é óbvio, a melhor equipa e tem uma boa vantagem. No entanto no futebol tudo muda muito rapidamente pelo que não podemos baixar a guarda nem entrar em complacências.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Gravíssimo

Aquilo que se passou ontem no Estádio da Luz é de uma gravidade extrema e talvez só mesmo por milagre se tenha evitado a tragédia.

É verdade que estivemos perante condições climáticas extremas mas não é de todo aceitável que um Estádio com 10 anos se comece a desfazer perante o olhar incrédulo dos adeptos a ponto de caírem gigantescas placas de alumínio. Poderia ter acontecido uma tragédia.

Eu encontrava-me debaixo da cobertura que foi afectada e a situação foi assustadora. Primeiro existia uma coluna de som literalmente pendurada pelos cabos. Depois a cobertura da pala como que se rasgou, em dois momentos diferentes e espaçados no tempo alguns minutos, com um ruído fortíssimo.

A dada altura apercebemos-nos de que seguranças (pensámos), caminhavam pelas estruturas da pala, procurando resolver a situação da coluna de som e inspeccionando, de forma sumária, o que se passava com a cobertura.

Enquanto toda a gente no Estádio percebia que algo não estava bem e os espectadores debaixo daquela pala percebiam que a estrutura estava comprometida, alguém continuava a colocar música aos altos berros. O estádio a desfazer-se e um ruído ensurdecedor de Eminem. Foi um cenário surreal.

De imediato percebi que estávamos em perigo e muito rapidamente disse a quem me acompanhava que devíamos sair dali. Esperámos mais uns minutos já junto ao acesso à bancada e também daí rapidamente passámos ao interior do estádio, junto aos bares. Foi aí que tivemos a confirmação de que o jogo tinha sido cancelado (algo que considerávamos inevitável).

O que se passou, a parte da música (já de si normalmente muito desagradável e nas circunstâncias particulares de ontem intolerável) incluída, é gravíssimo, tanto mais que não foi a primeira vez que aconteceu.

Como se pode justificar que um Estádio tão recente (e que tanto custou) não ofereça condições de segurança para os espectadores? Claramente aquela cobertura foi muito mal feita e a construtora que a realizou tem que assumir as devidas responsabilidades.

Tenho as maiores dúvidas que a situação se possa resolver em apenas um dia.