quinta-feira, 12 de junho de 2014

Brasil 2014 - trio de favoritos

No Mundial que começa esta noite há para mim três favoritos que se destacam de todos os outros: Brasil, Espanha e Argentina. São as seleções mais fortes e com os melhores jogadores. A Espanha é campeã do Mundo, o Brasil joga em casa e a Argentina tem um dos conjuntos mais fortes de sempre.

Não vencer um daqueles três seria para mim surpreendente.

Num patamar abaixo coloco a Alemanha, candidato "crónico" às decisões e às finais. Não me parece ter os argumentos de outros anos: Ozil, Muller e Khedira, os principais talentos desta seleção, fizeram épocas muito intermitentes e não parecem chegar a este mundial na melhor forma. O forte colectivo alemão estará presente mas penso que falta a centelha que impulsiona as equipas para os patamares mais altos.

Depois, muito perto da Alemanha, temos a Holanda. Finalista em 2010, vencedor do Euro 88, a Holanda é neste momento um pouco o inverso da Alemanha: muita qualidade individual, muito talento mas falhas na estrutura da equipa. Torneio após torneio, jogadores como Robben, Van Persie e Sneijder vêm passando ao lado da glória. Será a última oportunidade deste grupo de jogadores conseguir algo de importante.

Num patamar de outsiders, ou seja seleções que partem para o Mundial com expectativas relativamente moderadas e que não são verdadeiros contendores à vitória, embora tenham qualidade para se bater com os melhores, surgem Portugal, França, Itália e a própria Bélgica.

Portugal tem um grupo bastante experimentado de jogadores com alguma qualidade (Bruno Alves, Meireles, Veloso, etc), três ou quatro jogadores acima da média (como Pepe, Coentrão, Moutinho e Nani) e depois o fenómeno Ronaldo. Eu sei que este epíteto pertencia ao Ronaldo brasileiro mas de facto o nosso também o merece. É um jogador extraordinário, sensacional, que se estiver em condições pode catapultar Portugal muito longe. 

Itália está a passar um período muito negativo em termos futebolísticos. Não acredito de modo nenhum que possa ganhar ou sequer estar na final mas não podemos esquecer que noutras alturas em que também ninguém dava nada pelas suas equipas foi capaz de surpreender. Não acredito que seja o caso desta vez mas a Itália pode-se também bater com qualquer adversário.

Quanto à Bélgica tem uma fornada de jogadores bastante interessante, que, tal como os portugueses, jogam um pouco por toda a Europa. Courtois, Kompany, Witsel e Hazard são as principais estrelas, mas há muitos outros bons jogadores, habituados ao nível mais alto de competição, nomeadamente a Premier League. Veremos o que serão capazes de fazer como equipa. E atenção porque esta equipa pode ser nossa adversária nos oitavos de final.

A França é um pouco uma incógnita: depois de um ciclo de vitórias seguido de um período depressivo ainda não atingiu a estabilidade emocional e competitiva para estar entre os candidatos, apesar de obviamente ter jogadores de grande competitividade, como Ribery, Benzema e Pogba, entre outros. É evidentemente uma seleção sólida e difícil de bater mas parece não ter argumentos suficientes para chegar às decisões finais. 

Finalmente temos o Uruguai, a Colômbia, a Inglaterra, a Rússia, a Croácia, a própria Grécia, que são equipas candidatas a passar aos oitavos de final mas que não poderão aspirar a muito mais do que isso. Inglaterra tem sido uma desilusão torneio após torneio e eu ficaria muito surpreendido se desta vez fosse diferente. O Uruguai parece-me a mais forte deste lote e pode eventualmente chegar um pouco mais longe. No entanto deve-se recordar que Uruguai e Inglaterra estão no mesmo grupo, juntamente com a Itália e a Costa Rica. Inglaterra, Itália e Uruguai, um dos três não chegará pois sequer aos oitavos de final.

Em suma, imagino uma final em que necessariamente estará o Brasil ou a Argentina, sendo que a Espanha ou a Alemanha ou a própria Holanda poderão ambicionar a disputar esse jogo. Aliás diga-se que a final pode mesmo ser um Brasil-Argentina, caso ambas as equipas vençam os seus grupos e, obviamente, vençam as subsequentes eliminatórias.

Há porém uma coisa curiosa neste Mundial, que é a possibilidade clara do Brasil poder ser eliminado nos oitavos de final. Nesse jogo o Brasil enfrentará a Espanha ou a Holanda. Em princípio deverá ser a Holanda mas não é seguro. Ora qualquer um destes adversários é um candidato ao título. Uma derrota do Brasil seria desastrosa para o torneio, nomeadamente face à contestação que o Mundial já enfrenta.

Já a Argentina enfrentará nos oitavos de final a Suíça, o Equador ou França e, se passar essa eliminatória como é previsível que aconteça, provavelmente enfrentará nos quartos uma destas três equipas: Portugal, a Alemanha ou a Bélgica.

As emoções começam esta noite à hora de jantar.