segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Houve equipa

O Benfica conseguiu ontem uma boa vitória. Ganhar por mais do que um e não sofrer é sempre bom, ganhar por 4 e ter dois pontas de lança mais o seu melhor goleador a marcar é muito bom. Acima de tudo gostei do compromisso da equipa e da entreajuda, num jogo em que não houve Enzo e em que Lima se lesionou ainda na primeira parte.

A vitória começou com Artur que com três muito boas defesas impediu o golo do Arouca e impediu também a "crucificação" de Lisandro Lopez que, com excepção do erro que deu uma dessas oportunidades, fez uma boa partida. E não era fácil. Artur por sua vez voltou a apresentar-se bem e com tranquilidade. 

Há que recordar que Enzo não estava disponível, o que naturalmente se reflete no rendimento do meio campo. Os dois jogadores que assumiram o controlo do jogo são jovens e são novos no Benfica. Com a saída de Lima por lesão, o Benfica passou a contar com 5 jogadores que acabaram de chegar ao clube a jogar no corredor central: Lisandro, Talisca, Samaris, Derley e Jonas. É muito mas a equipa não se ressentiu.

Pelo contrário, graças a um golo monumental de Talisca, que mais uma vez inicia a jogada perto da linha de meio campo, o Benfica libertou-se e partiu para um último quarto de hora de luxo. Sálvio, Ola John e Jonas brilharam nessa altura.

Para além de Talisca, deve-se destacar a exibição de Derley que, não sendo um virtuoso, é um jogador que trabalha muito e que tem boas movimentações na área que criam espaços e perigos. Teve um iniciativa muito boa na primeira parte e finalmente estreou-se a marcar com o "golo da tranquilidade" que permitiu partir para a goleada. Vê-se que é um jogador humilde que merece ter sorte. Jonas mostrou que tem qualidade, classe diria mesmo, e sentido do golo. Marcou um e podia ter marcado outro.

Quanto a Samaris fez um jogo bom na minha opinião, sobretudo na segunda parte em que assumiu mais o jogo, teve bola e iniciativa. Tem que ter mais cuidado pois a falta que fez sobre David Simão é passível de cartão vermelho. É uma entrada muito perigosa que não pode repetir.

Os próximos jogos mostrarão se Lisandro pode agarrar o lugar ou pelo menos ser uma alternativa sólida para o lugar. 

A paragem que se segue de duas semanas no campeonato permitirá a Jorge Jesus trabalhar com alguns dos jogadores no sentido de os integrar melhor na dinâmica da equipa e corrigir alguns erros que se têm verificado.

Acima de tudo o Benfica tem que ser uma equipa, com os jogadores solidários, generoso, dedicados, desde o guarda redes ao ponta de lança. Não iremos ganhar a Liga dos Campeões e, dados os maus resultados a abrir, poderemos nem sequer passar da fase de grupos. Não temos ainda qualidade suficiente para tal. A nível interno porém o Benfica está certamente no top. Pode não ter o plantel de mais nomeada ou mais caro (esse será o do Porto) mas tem apesar disso condições suficientes para poder ser campeão. Precisa para tal de ser uma equipa, de trabalhar, de ser confiante em si mesmo e, claro, encarar todos os jogos com grande profissionalismo e sentido de responsabilidade.