segunda-feira, 8 de junho de 2015

Quem vier... ganha

Já dei a minha opinião acerca do que aconteceu na passada semana e acerca da minha preferência para o comando técnico. Ouvi muito do que se disse nas televisões e li muito do que se escreveu nos blogs do Benfica.
 
Acho que é chegada a hora de todos os benfiquistas pararem de dar bitaites e aguardar serenamente primeiro pela apresentação do novo técnico e depois pelo início da próxima época.
 
O que passou, passou, agora há que olhar para a frente com confiança. O Benfica é bicampeão e tem para o ano múltiplos títulos que pode ganhar. Nada se desmoronou. O trabalho que foi feito pode e deve ter continuidade, se calhar com menos meios mas possivelmente com melhor aproveitamento de recursos.

As coisas terão que ser feitas com inteligência - sem dúvida. A aposta na formação não pode ser uma coisa cega, súbita, extemporânea. Terá que ser progressiva, pensada e sustentada. Para além da equipa B e dos juniores há muitos e muitos jogadores que o Benfica tem espalhados por vários clubes. Haverá que racionalizar esses recursos e tentar realizar encaixes financeiros com os que não interessam e aproveitar alguns que poderão ter lugar no plantel. Se necessário fazer uma ou outra contratação cirúrgica.
 
O Benfica continua a ter muita qualidade no seu plantel - mesmo que Gaitan, indiscutivelmente o jogador com mais classe do Benfica, saia. Continuaremos a ter Júlio César, Maxi (espero), Luisão, Jardel e Eliseu, defesa que, se continuar a ser bem trabalhada, dará garantias.
 
A nível de meio campo, considero que temos o melhor campo de Portugal, um meio campo de luxo mesmo. A razão pela qual isso não foi mais visível foi porque no esquema do passado só jogavam dois centro campistas. Mas agora as coisas poderão ser diferentes. E possivelmente terão que ser! O dogma dos dois pontas de lança poderá - e talvez deva mesmo - ser questionado. Talvez precisemos de ter ali outra ocupação do espaço, mais conservadora e mais segura no controlo do jogo.

Mas que outro clube em Portugal poderá orgulhar-se de ter "só" Fedja, Samaris, Rúben Amorim, Cristante, Pizzi e Talisca? E existe ainda Mukhtar que poderá ser um jogador interessante. Alguém duvida que está aqui imensa qualidade e potencial?
 
No ataque penso que precisaremos de explorar novas soluções. Lima e Jonas foram uma dupla excelente mas imaginando que poderemos jogar num outro esquema serão precisas dinâmicas diferentes. Há porém no plantel e na equipa B (e eventualmente no mercado) soluções para esses outros esquemas.
 
Temos que manter a calma e o optimismo. O que está para trás já não conta. O Sporting poderá estar mais forte - aparentemente vai apostar forte na próxima época e será um candidato ao título assumido. O Porto mantém o treinador e uma base da época finda sobre a qual tentará melhorar. O Benfica partirá de uma plataforma talvez mais modesta em termos de investimento na equipa. Mas isso não é necessariamente mau. Uma luta mais equilibrada na frente faz com que o foco e a pressão não esteja permanentemente no Benfica como foi no passado, com laivos de obsessão doentia da parte de muita comunicação social e comentadores. Com um Porto e um Sporting fortes e também em guerra entre eles (Lotopegui-Jesus parte II) o Benfica pode fazer uma caminhada mais discreta que pode no entanto acabar em sucesso. Quem sabe se sobre a linha da meta. Quem sabe se, ao contrário dos últimos anos, em vez de acabarmos a época em clara perda, não podemos acabá-la em grande, ultrapassando os nossos adversários no photo finish?
 
Há muito para ganhar na época que se inicia em Agosto. Há uma Supertaça, um campeonato, uma Taça de Portugal, uma Taça da Liga e uma Liga dos Campeões na qual se impõe uma prestação melhor do que as dos anos recentes. Seja qual for o treinador que vier, aqueles que se falaram (Rui Vitória e Marco Silva) terão certamente ambição e qualidades para, suportados pela tal estrutura e pelo "Manto protector" dos sócios e adeptos, poder disputar todas estas competições e continuar a dar títulos ao Benfica. Ambos são competentes e ambos merecem o nosso respeito e confiança qualquer que venha a ser a escolha. O novo treinador terá o meu apoio. Eu sou do Benfica e enquanto ele estiver no Benfica será dos meus. E não apenas isso: terei toda a confiança no seu trabalho. Porque qualquer um deles é um profissional sério e que sabe o que está a fazer. Saibam os benfiquistas aproveitar este momento para se unirem ainda mais e os títulos continuarão a chegar.