quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Presentes a árbitros?

Escrevo este texto às 11.00h da manhã de quarta-feira, dois dias e 11 horas depois das acusações gravíssimas do presidente do Sporting ao Benfica. A única "reacção" do Benfica veio através do jornal "A Bola" que informa que o clube não vai reagir para não se colocar ao nível rasteiro do Presidente do Sporting.

Esta posição não me convence porém. 

Foi lançada uma acusação que coloca o Benfica sob suspeita de corrupção, pelo menos a nível moral; sob suspeita de aliciar ou pelo menos seduzir os árbitros. Não se pode pretender que uma coisa desta gravidade não deve ser esclarecida apenas porque quem denunciou a situação é uma pessoa sem nível. Essa pessoa é presidente de um grande clube e fez a acusação publicamente. 

Nem se pode tentar, como já vi e ouvi, dizer que isto é "normal".

É normal dar presentes a árbitros??? Então porque não pode ser normal dar presentes em fruta? 

Porque entendamo-nos - e aqui eu dou razão a Rui Santos no seu programa de ontem - , não estamos a falar de um mero "brinde", como seria um porta chaves, um galhardete ou (no limite) uma camisola do clube. Estamos a falar (foi essa a acusação do presidente do Sporting) de senhas para 4 refeições que (alegadamente) não têm limites de preço, podendo envolver até "champagne".

Se isto fosse verdade - e não pode ser - o Benfica estaria a dar "prendas" aos árbitros cujos valores poderiam ascender às centenas de euros. Se isto fosse verdade, estaríamos a falar de comportamentos semelhantes às "mariscadas de Matosinhos" do tempo do apito dourado que considerámos (como é evidente) uma coisa grave. Por isso, insisto, isto não pode ser verdade.

No entanto, o silêncio do Benfica em relação a esta matéria, que entra agora no terceiro dia, deixa no ar a ideia de que pode haver verdade na acusação. E coloca benfiquistas no triste papel de defender que afinal até nem há nada de tão gravoso nesta prática... Como?? Oferecer jantaradas a árbitros afinal nada tem de mal? Seria a descredibilização total do nosso clube.

O Benfica, quero acreditar, não faz nada disto. Há aqui, quero acreditar, uma mistura de verdades com inverdades. O Benfica oferecerá eventualmente uma camisola (possivelmente os outros clubes fazem o mesmo - Carvalho admitiu que o Sporting o fazia) e em vez de deixar comida no balneário (como o Sporting) oferece uma senha para o árbitro ter uma refeição normal no quadro da sua deslocação para arbitrar o jogo. Quero acreditar pois que quando o presidente do Sporting fala em 4 refeições para cada árbitro com direito a "champagne" se os contemplados assim quiserem, mais camisola e convites para o museu, está a mentir.

Era obrigação da direcção do Benfica esclarecer esta novela. Não o fazendo, permite que se crie a ideia de que isto pode ser verdade, com consequências graves não apenas sobre a imagem do clube mas também sobre a moral de sócios, adeptos e até desportistas. Se, por absurdo, isto fosse verdade, então aí todos os responsáveis por uma tal situação teriam que se demitir imediatamente. O Benfica não pode estar associado a práticas desta natureza.







terça-feira, 6 de outubro de 2015

Insinuações gravíssimas que não podem passar em claro

Sobre o Presidente do Sporting, a sua falta de nível e o destino mais que certo da sua presidência, já falei aqui ( http://justicabenfiquista.blogspot.pt/2015/06/bruno-de-carvalho-e-um-louco.html  ), tendo na altura dito que não voltaria ao assunto. Apesar do espectáculo grotesco de ontem à noite vou manter-me fiel ao que então disse e não vou falar mais da dita personagem.

Agora houve insinuações gravíssimas que afectam o Benfica que têm que ter resposta, venha ela de que forma vier (já ouvi falar em processo crime).

Nomeadamente foi dito que o Benfica gastava "um quarto de milhão" em árbitros. Essa acusação/insinuação não pode passar em claro.