quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A classe e a falta dela (dentro e fora das 4 linhas)

O Benfica deu na passada terça-feira uma demonstração de classe (mais uma), aplicando "chapa 6" ao Moreirense, com pinceladas de arte futebolística do mais alto calibre: Gaitan e Talisca estiveram em noite para recordar, mas a execução de Raúl no segundo golo também merece referência. São excelentes notícias porque Gaitan e Talisca são dois jogadores de que muito precisaremos para a segunda volta do campeonato. O brasileiro e o argentino são daqueles jogadores que elevam o futebol a um espectáculo que vai para além da simples mecânica dos jogadores em campo, pautando o jogo com o elemento de impresibilidade, criatividade e beleza que fazem do futebol o principal desporto mundial.
Sempre gostei de Talisca, por múltiplas razões. Em primeiro lugar tem a característica e a capacidade de rematar de longe, algo que acho fundamental no futebol, conseguindo não raro golos de belo efeito. A galeria de golos de Talisca no Benfica dá já para alguns vídeos do youtube, apesar de estar no Benfica há pouco mais de um ano e de ter tido estatuto de titular em menos de metade dos jogos. Depois porque é um jogador criativo que consegue arrancadas que mexem com o jogo e partem as defesas contrárias. Há poucos jogadores com capacidade de transportar a bola como Talisca. Gaitan é um deles.
 
O mágico argentino é provavelmente o melhor e mais criativo jogador a actuar em Portugal. O seu futebol delicia. O seu regresso é pois uma excelente notícia. Ficam a faltar Luisão e Sálvio, agora que Nélson Semedo também parece pronto a regressar em pleno e assumir a titularidade quando for caso disso na perspectiva do treinador.
 
Há agora que dar continuidade a esta vitória clara da Taça da Liga no campeonato e continuar a sequência de vitórias. Como referi no anterior post, este é um momento muito importante na época no qual todos os pontos e jogos são decisivos. Chegar ao jogo com o Sporting em 1º lugar seria algo de muito importante.
 
Quanto às notícias de fora do relvado, o Sporting continua diariamente a dar um triste espectáculo no espaço público. As declarações de Otávio Machado foram algo de incompreensível. Se nada tinha para dizer, como objectivamente não tinha, a não ser acusar (?) o Benfica de querer que a lei se cumpra no caso Slimani (algo de normal), para que se foi colocar em frente às câmaras de TV? Começa a ser demasiado ridículo. Como incompreensível e patética é a atitude do Sporting relativamente ao "caso" das caixas e dos vouchers. Se o presidente do Sporting declara (como fez em entrevista) que não acredita que este caso configure qualquer tentativa de corrupção (como aliás parece evidente), então recorre da decisão de arquivamento do processo porquê? A contradição é evidente. O Sporting faz barulho e espera que do barulho e da confusão consiga retirar benefício, como de facto conseguiu com muitas arbitragens "amigas" durante a 1ª volta. Mas o Benfica, as instâncias e o público em geral já estão alertados e não vão permitir que tal continue. Mais: não deixaremos passar nem perdoaremos nada daquilo que ultrapassou largamente as fronteiras do admissível, como foi a agressão brutal de Slimani e o comportamento vergonhoso no jogo de Alvalade contra o Tondela. Não pode valer tudo.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

O campeonato começa-se a decidir AGORA

O Benfica ganhou bem, de forma segura, a uma equipa "chata", mantendo a boa sequência de resultados.
 
Mas atenção: as dificuldades começam agora.
 
O Benfica tem uma sequência de dois jogos fora (Moreirense e Belenenses) e recebe o Porto (ao passo que o Sporting tem dois jogos em casa e depois vai à Choupana). Depois o Benfica vai a Paços de Ferreira, recebe o União da Madeira e vai a Alvalade. O Sporting por seu turno recebe o Boavista e depois vai a Guimarães...
 
O campeonato decide-se pois em larga medida nas próximas jornadas. São vários os jogos difíceis (todos, exceptuando talvez o do União da Madeira, mas isso apenas no papel) e dois deles são os chamados "6 pointers" por envolverem os outros candidatos ao título. Não é difícil perceber que quem fôr líder no fim da jornada 26 (após o derby) tem boas possibilidades de ser campeão. Eu diria mais: se o Benfica sair de Alvalade na frente do campeonato (seja porque lá chega à frente e mantém ou dilata essa vantagem, seja porque, vencendo, ultrapassa nesse jogo o Sporting) tem o campeonato no bolso. Mas se as distâncias se mantiverem até ao jogo de Alvalade e o Benfica empatar esse jogo, continuamos a ter hipóteses na medida em que o calendário até ao fim é bastante mais fácil do que o do Sporting que terá que ir a Braga e ao Porto nas últimas 3 jornadas.
 
Quer isto dizer que as importantes vitórias das últimas jornadas têm que ter continuidade e que não é hora de pensar que alguma coisa está ganha ou de ensaiar qualquer tipo de abrandamento. Pelo contrário, aquilo que todos esperamos é que o Benfica continue a crescer como equipa, continuando a ganhar de forma segura e apresentando-se na Luz contra o Porto e em Alvalade como verdadeiro campeão. Se assim acontecer temos boas hipóteses de renovar o título. Algo que, admito sem o esconder, não pensei possível no início de época. Repito porém, não é hora de festejar. O mais difícil está seguramente por fazer e é agora que os verdadeiros testes à real capacidade da equipa começam. Desejo uma resposta à Benfica e tenho esperança que tal possa acontecer. Está ao nosso alcance, não podemos é fraquejar por um momento que seja.