terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Calendário do Benfica em Fevereiro é o melhor dos 3 grandes

Muito se tem falado acerca da quantidade de jogos do Benfica no mês que agora começa e nas potenciais consequências adversas daí resultantes. Ora isto não faz sentido pela simples razão de que o calendário do Benfica é tão ou menos sobrecarregado do que o dos seus rivais.
Para além dos jogos do campeonato, o Benfica tem um jogo da Taça da Liga e um jogo da Liga dos Campeões, este a 16 de Fevereiro no Estádio da Luz (a segunda mão é apenas a 9 de Março). Já o Porto e o Sporting jogam a 18 e a 25 de Fevereiro a primeira e segunda mãos dos 16vos da Liga Europa.



 
Para além disso, o Benfica joga daqui a uma semana (dia 9) com o Braga na Luz para as meias finais da Taça da Liga, ao passo que o Porto joga amanhã a primeira da mão das meias finais da Taça de Portugal em Barcelos (jogará depois a segunda mão já em Março). O Sporting não joga em nenhuma das Taças porque já foi eliminado de ambas. Actualização: o jogo Benfica-Braga não se realizará na data prevista e ainda não tem data marcada.

Em suma, o Benfica jogará 6 jogos (4 no campeonato, um da Taça da Liga e outro da Liga dos Campeões), ao passo que o Porto jogará 7 jogos e o Sporting 6.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Vitória incontestável e de classe

O Benfica voltou a vencer e a golear o Moreirense. Sabemos que uma equipa grande tem muito mais a perder num duplo confronto como este do que a equipa pequena para quem apenas um empate em dois jogos já é um bom resultado. A dupla goleada não pode portanto deixar de ser saudada e elogiada. A equipa, o plantel diria até, esteve num plano elevadíssimo, simplificando o que poderia ser difícil. Rui Vitória preparou muito bem os jogos. Tamnbém importa reconhecer que o Benfica foi de uma grande eficácia nesta partida, ao que não é alheia a qualidade dos seus executantes na frente que conseguiram não apenas 4 golos mas 4 excelentes golos.
Destaque mais uma vez para Jonas que voltou a bisar, também para as exibições de Eliseu, Pizzi, Samaris, Renato, o golo de Mitroglou e a segurança dos centrais. Gaitan esteve melhor na segunda parte do que na primeira, sendo evidente que está a recuperar ritmo e que o seu rendimento melhorará nas próximas jornadas.
Há poucas coisas a criticar. Talvez apenas um excesso de confiança, misturado com excessiva cerimónia na defesa, que levaram André Almeida (que de resto fez uma óptima partida, mostrando nos vários duelos físicos ser um jogador quase de ferro) a oferecer a bola a um adversário que se poderia ter isolado à frente de Júlio César e o facto de ter sofrido um golo no fim. Em todo o caso há que admitir que a exibição esteve a um nível altíssimo, que o controlo do jogo foi praticamente absoluto e que cometemos poucos erros. É uma bitola que podemos repetir. Esperemos por outro lado que a lesão de Lisandro não passe de uma pequena mazela, recuperável em poucos dias.
O Benfica vai agora ao Restelo onde encontrará um adversário com um dia a menos de descanso (para além de uma viagem à Madeira), o que à partida nos poderá dar uma pequena vantagem. Como sabemos porém estas coisas pouca importância têm se os jogadores não encararem o jogo com o máximo empenho e não forem capazes de colocar qualidade e intensidade na partida.
Recordo que o jogo no Restelo antecede o jogo com o Porto na Luz.