sábado, 30 de abril de 2016

Muito nervosismo

Vitória justa mas tensa

 
O Benfica venceu bem mas com muitos nervos e correndo os riscos inerentes a uma vantagem mínima (no resultado como na classificação). Apesar do domínio quase completo do Benfica, de facto o Vitória de Guimarães teve duas oportunidades claras para marcar, uma delas perto dos 80 minutos (e que devia, note-se, ter resultado na expulsão do avançado Hurtado que colocou em risco a integridade física de Ederson). Felizmente nos últimos minutos, com as entradas de Jimenez e Samaris, o Benfica voltou a controlar o jogo e já não tivemos mais sobressaltos.

Mas recuemos ao início. O Benfica não entrou bem no jogo. É verdade que nesta altura a equipa procura com paciência o modo pelo qual poderá entrar nas defesas adversárias, ao invés de se lançar num ataque desenfreado que a desgaste desnecessariamente. No entanto nesse período o Benfica jogou demasiado lento, pouco pressionante, assim permitindo ao adversário estar muito confortável no jogo. Não é correcto, do meu ponto de vista, acusar o Guimarães de anti-jogo. Na verdade na primeira parte por duas vezes jogadores do Benfica precisaram de assistência: Pizzi e Jardel, no que foram as principais paragens no jogo. Quanto à lesão de Hurtado (o tal que mais tarde deveria ter sido expulso) ela foi legítima e real, pois Eliseu teve uma entrada demasiado impetuosa e atingiu o adversário na cabeça (na BTV viram-se bem os efeitos dessa entrada).
 
Havia demasiada tensão e nervosismo. Não sei se houve "mala" ou não, como agora se diz. Penso que é normal uma equipa jogar pelo seu orgulho e honra e procurar o melhor resultado possível. Mas a tensão normal do Benfica por querer e precisar de vencer o jogo foi alargada aos jogadores do Guimarães pela postura do árbitro que me parece que mostrou demasiados cartões e não foi capaz de controlar o jogo, tendo depois expulsado o treinador do Guimarães sem que se tivesse percebido bem porquê (e depois de ambos se terem abraçado efusivamente antes do início do jogo). O que já considero menos normal é a reacção dos jogadores do Guimarães no final do jogo: o que é que eles queriam? Qual foi o problema?
 
 

Há cansaço na equipa

 
Mas existem a meu ver outra razão para o nervosismo, no que diz respeito ao Benfica: o cansaço. Há vários dos nossos jogadores que estão pesados, que denotam um atraso na sua reacção aos lances (sobretudo se param um pique já não são capazes de arrancar novamente) e que por essa razão estão a tomar algumas decisões erradas. Isto reflecte-se na dinâmica geral da equipa. Pizzi e Jonas são para mim os casos mais evidentes mas Renato, Gaitan e Mitroglou denotam algum cansaço. Veja-se por exemplo a ligeireza e leveza nas pernas de Jimenez quando comparado com Mitroglou: tudo sai mais fluído e tudo parece mais fácil ao mexicano.
 
Na segunda parte as coisas correram melhor: vencida a inércia dos primeiros 45 minutos, os jogadores entraram bem e conseguiram logo o golo. Depois disso o resumo dos acontecimentos passa muito por aquilo que já referi no início do post.

A alegria pela vitória foi muita e compreensível. Mas atenção, ainda não há nada para celebrar.
 
 

O clássico desta noite

 
A minha previsão para esta noite, que espero possa ser errada, é a de que o Sporting vai vencer o jogo. E isso relançará o campeonato pois o Benfica tem um jogo difícil na Madeira para a semana: o Marítimo é um clube imprevisível, capaz do melhor e do pior.
 
Considero mais provável o Sporting ganhar pela razão de que o Porto está em "pré-época" e porque considero que José Peseiro é um treinador que não consegue que as suas equipas tenham equilíbrio e consistência. Consequentemente, as equipas de Peseiro são muito vulneráveis defensivamente. Atendendo a que o ataque do Porto também não é particularmente concretizador, prevejo uma vitória do Sporting que, caso as coisas lhes corram de feição, poderá até ser fácil e simples. Não se percebe que Peseiro já vários meses depois de chegar ao clube ainda ande em experiências e não tenha um 11 base minimamente definido. Isso não dá rotinas nem qualquer estabilidade. As declarações de Pinto da Costa ainda agravaram mais o estado de instabilidade.

Prevejo uma entrada em jogo muito forte do Sporting, a procurar dominar o seu adversário e chegar ao golo. Se o conseguir, o Porto terá depois uma reacção e procurará lutar pela sua honra e prestígio. Não tenho dúvidas de que alguns dos seus jogadores darão tudo para mudar o estado de coisas. No entanto isto também abrirá espaços na defesa que o Sporting poderá aproveitar, jogando directo para Slimani.
 
Veremos o que acontece. Como é evidente espero estar enganado e que as coisas não corram nada assim: que o Sporting entre mal em campo, pressionado pelo atraso na classificação e nervoso em virtude da obrigatoriedade em ganhar. Que esteja nervoso e comece a falhar passes, que o Porto, não tendo nada a perder, esteja tranquilo que consiga desenvolver as suas qualidades e que os jogadores de qualidade que tem possam resolver. Não tenho dúvidas de que caso o Sporting se veja a perder, o desespero possa tomar conta dos seus jogadores. A ver vamos, como dizia o outro.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Concentração absoluta

Enfrentamos esta sexta-feira mais uma autêntica final.
Há muito que o Benfica, tendo partido atrasado em relação aos outros concorrentes, vem jogando nos limites, sabendo que apenas ganhando conseguiria manter-se na corrida, numa primeira fase, e na liderança, neste momento. A equipa tem vindo a saber superar os vários desafios que se lhe têm apresentado, exibindo grande capacidade e confiança.
Amanhã será mais uma etapa. É apenas isso. Nem mais, nem menos.
O clássico Porto-Sporting não conta para nada amanhã. Seremos nós contra o Vitória de Guimarães, com o Estádio a "jogar connosco" como Rui Vitória vem dizendo e bem.
Confio inteiramente nesta equipa, todos os jogadores do plantel aqui incluídos e, obviamente, no seu timoneiro. 
Não há aqui questões de clássicos, não há aqui questões de marcar muitos ou poucos golos, cedo ou tarde, de botas de ouro ou quaisquer outras acessórias. Não há aqui questões de o Guimarães estar há muitos ou poucos jogos sem ganhar, ter ou não pressão ir ou não fazer mais do que tem feito nos anteriores jogos.  Não pode haver da parte do público quaisquer impaciências ou exigências irrealistas e menos ainda "embirrações". Sim, estou a falar de Eliseu e Pizzi, jogadores que têm dado imenso ao Benfica neste ano e que têm uma quota parte muito grande no que de tão bom a equipa vem fazendo esta época.
Quando o apito inicial soar, há apenas uma necessidade de vencer um jogo.
Concentração absoluta é o que se precisa. Sabemos que contra o Benfica todos se motivam e todos dão tudo. Os nossos jogadores precisam por isso de estar ao seu nível máximo. É isso que estou seguro que acontecerá.

Viva o Benfica!

BTV - vamos manter o nível

A BTV (tenho muita pena que a designação oficial não seja BenficaTV) tem-nos habituado a um elevadíssimo padrão de qualidade e a uma postura responsável. Claro que as coisas são apresentadas do ponto de vista do Benfica - é mesmo esse o objectivo primeiro do canal - claro que há ocasiões em que os convidados ou funcionários resvalam para a bajulação (é humano).
 
Por vezes verificam-se alguns excessos. Ainda hoje os portistas falam do desejo expresso na  BenficaTV (na altura ainda se chamava assim) de que Pinto da Costa morresse. Na altura foi dito por um participante num programa que desejava que festejasse "o próximo título junto daquele a quem o prometeu" que era Pedroto. Não é este evidentemente o tom que se deseja.
Mas em geral o tom é institucional e moderado.
A BTV tem tido um grande crescimento e parte do sucesso deve-se à forma  institucional como se apresenta, aos profissionais credíveis e até a uma certa independência e capacidade crítica dos intervenientes em relação ao clube. Claro que essa liberdade vale para os dois lados e portanto não podemos culpabilizar em absoluto o canal quando algo corre menos bem em termos de opiniões expressas pelos convidados.

Haverá porém que ter algum cuidado para o tom não resvalar. Apesar das provocações, do nível inaudito e inacreditavelmente baixo dos ataques e campanhas infames do Sporting, a BTV tem que ter cuidado para não se deixar arrastar para esse baixo nível. Em particular temos que resistir ao insulto, por muito que as pessoas em causa mereçam - e merecem - ser duramente criticadas. Há que evitar responder na mesma moeda, sob pena nos tornarmos parecidos àqueles que criticamos.
Penso que ontem se passou um pouco essa fronteira.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Rui Santos, o descarado

Rui Santos já foi despedido da SIC e do "Record" mas estranhamente nunca chegou a sair desses órgãos de comunicação. Não estou a fazer nenhum processo de intenção ou nenhuma acusação, estou simplesmente a afirmar um facto: tanto no "Record" como na SIC Notícias o fim da sua colaboração foi anunciado, mas depois, por artes mágicas, na semana seguinte continuava por lá.

Rui Santos há uns anos passava os seus programas, que na altura tinham hora e meia ou até 2 horas, a atacar Paulo Bento, o então treinador do Sporting. Paulo Bento ganhou Taças e Supertaças no Sporting e conseguiu qualificações directas para a Liga dos Campeões. Também esteve ligado a uma humilhação do Sporting aos pés do Bayern de Munique. Mas a questão aqui não é avaliar a prestação de Paulo Bento no Sporting, isso pouco nos interessa. O ponto é outro: Rui Santos tinha uma agenda então como tem uma agenda agora.

Na altura era Paulo Bento, agora é o Benfica. Com a desonestidade intelectual e a falta de vergonha na cara que o caracteriza, Rui Santos semana após semana faz o jogo de Bruno de Carvalho.

Rui Santos tem estado na linha da frente de todas as viscosas, lamacentas e miseráveis campanhas do Sporting e suas agências de propaganda, desde os ataques imundos a Renato Sanches, à lenga lenga dos penalties e expulsões.

Esta personagem teve o desplante de dizer que Luis Filipe Vieira se "escondia" atrás dos outros (que supostamente fariam os ataques ao Sporting). Disse-o para tentar desculpabilizar os ataques a tudo e todos de Bruno de Carvalho, as insinuações miseráveis e os insultos constantes dos Octávios e Inácios desta vida.

Esta caricatura de comentador insurgiu-se quando foi dito que Inácio tinha dívidas ao fisco, mostrando-se muito incomodado e falando de limites, mas está ao lado desse mesmo Inácio em silêncio quando este chama a jornalistas, comentadores e dirigentes do Benfica "cães de fila", faz insinuações sobre Renato e a sua idade e acusações graves a Júlio César, entre outras declarações rasteiras. É preciso não ter deontologia, é preciso não ter vergonha na cara.

Rui Santos atingiu agora o limite da parcialidade - e começa a colocar em causa a própria posição e estatuto de isenção da SIC - com as fantochadas das suas "verdades desportivas" e "ligas da verdade".

A três jornadas do fim, por a sua imbecil "liga da verdade" apresentar o Benfica em 1º e lhe dar inclusivamente maior vantagem sobre o Sporting, o indivíduo resolve alterar os critérios e apresentar uma nova classificação na qual o Sporting está em 1º.
É mesmo o cúmulo da desonestidade e falta de vergonha!!!


Um tri de finais

Mais uma vitória de querer, raça e sacrifício contra (mais uma vez) uma equipa que tentou apenas impedir a nossa vitória. Claro que todas as equipas têm o direito - e o dever! - de tentar vencer todos os seus jogos e portanto também aqueles que disputam contra o Benfica. No entanto é difícil não  ver que a atitude dos nossos adversários e dos adversários do Sporting não tem sido a mesma nas últimas jornadas.
 
Não estou a acusar nada nem ninguém mas se nos limitarmos aos factos é impossível não reconhecer que o nível de entrega e luta pelo empate que se verificou nos jogadores do Boavista, da Académica, do Setúbal e do Rio Ave foi muito superior ao que se verificou nos jogos do Sporting. Poderá ser apenas coincidência, poderá ter apenas a ver com o calendário: não há dúvida que o Boavista, por exemplo, é sempre uma equipa agressiva e aguerrida. Poderá ser, mas começa a ser uma coincidência recorrente. Tanto mais que outras coincidências se juntaram a esta: cortes na água e conflitos dentro dos clubes oponentes do Sporting na semana dos jogos e casos de arbitragem que beneficiaram este clube, quer no plano técnico quer no disciplinar.

Seja como for, o Benfica tem que estar preparado para mais um jogo difícil no qual o seu adversário fará tudo o que puder para nos retirar pontos. Para o evitar precisaremos de estar ao nosso melhor nível. Precisaremos de não entrar no jogo a perder e de ser eficazes no ataque. Acima de tudo precisaremos de ter os níveis de concentração e entrega ao jogo no máximo. Mais uma vez lá estaremos para dar o nosso apoio. Esta equipa merece.