quarta-feira, 18 de abril de 2018

Benfica-Porto - as derrotas têm causas

Já escrevi sobre a enorme desilusão que este jogo foi e também sobre a tendência - que não é de hoje - de perder com o Porto. O Benfica neste momento ganha um jogo ao Porto em cada 10 disputados. Se não acreditam vejam por vocês mesmos:

Do site zerozero.com.
Olhando para os últimos 40 jogos a estatística "melhora" um bocadinho, indicando que ganhamos um jogo a cada quatro, mas se nos limitarmos ao campeonato ela volta a piorar: 7 vitórias em 20 épocas e 40 jogos.

Mas se é verdade que há realidades que estão para lá de cada jogo particular e que se verificam nas tendências a longo prazo, claro que cada jogo tem a sua história e merece a sua análise própria.

Nesse particular destaco as seguintes ideias:


  • os sinais pré-jogo não foram bons. Jonas nem no banco estava, ao passo que Marega seria titular. A lesão (que ainda não percebi) do melhor e mais decisivo jogador do Benfica veio na pior altura possível. Marega não sendo um jogador da classe de Jonas, é o mais decisivo do Porto (as duas derrotas que esta equipa sofreu e nos permitiram chegar à liderança aconteceram quando o maliano esteve lesionado).
  • o jogo foi pobre, com muitas cautelas por parte de ambas as equipas e poucas oportunidades de golo. 
  • a primeira parte foi do Benfica, perante um Porto expectante e a melhor oportunidade pertenceu-nos. Era lance para golo mas Pizzi não conseguiu rematar bem. Rafa desequilibrou e foi parado em falta demasiadas vezes, perante alguma permissividade de Artur Soares Dias. No entanto, apesar de mais encolhido, o Porto tinha capacidade de criar perigo nas saídas, graças à técnica de Brahimi e à capacidade física dos seus avançados. Soares e Marega visaram a nossa baliza com perigo.
  • na segunda parte o Porto subiu linhas e o Benfica recuou, parecendo receoso ou fisicamente mais desgastado. O Porto teve mais posse de bola e começou a criar perigo perante a nossa completa inoperância na frente. Varela salvou uma bola de golo quando Marega lhe apareceu isolado pela frente e Brahimi quase fez golo num remate em arco ao segundo poste. O Benfica não criou nenhuma ocasião nem fez qualquer remate à baliza nesta fase.
  • as substituições pioraram a nossa equipa: a saída de Rafa foi fatal, porque o pequeno extremo era o único que desequilibrava e a entrada de Samaris tornou-nos ainda mais defensivos. Seferovic entrou mas nada acrescentou.
  • o golo surgiu ao cair do pano praticamente inviabilizando qualquer reação. Claro que o empate se aceitaria, mas a vitória calhou à equipa que mais a procurou, pelo que não se pode falar em injustiça. O Benfica colocou-se a jeito para o que aconteceu.


Uma nota final para dizer o seguinte: ao contrário do que se tem dito, os plantéis de Benfica e Porto são bastante equivalentes. A ilusão de que teríamos muito melhor plantel deve-se ao facto do Porto não ter feito contratações esta época. No entanto, ao contrário do Benfica, também não vendeu e ainda recuperou jogadores "proscritos" como Aboubakar, Marega e Ricardo. Os laterais do Porto são melhores do que os do Benfica e os centrais são equivalentes. Brahimi foi sempre um quebra cabeças para a nossa equipa, ao passo que os dois avançados nos colocaram sempre muitos problemas. Com Pizzi a praticamente não acertar uma, Zivko e Cervi pouco inspirados e Jimenez muito só na frente, apenas Rafa a desequilibrar é pouco, não chega para este nível de exigência. Mas para perceber a questão dos plantéis, olhe-se para os bancos:


PS - não nos podemos desculpar com o árbitro. ASD podia e devia ter sido mais firme na primeira parte a penalizar o constante jogo faltoso do Porto. No entanto nos dois principais lances de que alguns se queixam, o árbitro decidiu bem. No lance da possível expulsão de Sérgio Oliveira a falta é de Filipe Vale Tudo. Quando Sérgio mete o braço já Rafa foi parado ilegalmente pelo brasileiro (que devia ter levado cartão - mas que seria o primeiro e portanto também não daria expulsão). No lance do possível penalty, não me parece haver falta. Há um contacto normal, do qual resulta a queda do nosso jogador mas não há agarrão, empurrão ou rasteira. Seria demasiado forçado marcar penalty num lance daqueles. Soares Dias já nos prejudicou muitas vezes e assinalei-o neste blog com toda a veemência mas neste caso não pode servir de desculpa para não termos feito o que devíamos que era ganhar o jogo. O Benfica simplesmente não foi competente.

11 comentários:

  1. nem a taça de portugal fodase quando vejo equipas como o cladas ou aves que um daqueles merdas vao jogar o sporting e o porto fodase mais uma taça ganha pa esses merdas o benfica devia ter feito muito mais na taça de portugal so o sporting me pode aligeirar essa depressao força jj força sporting ganha a esses merdas

    ResponderEliminar
  2. Já percebemos, há muito tempo, que o Benfica tem sido (e continua a ser) vítima de um complô alargado de criminosos e filhos de cabra do mais miserável quilate. Desportivismo e lealdade para com o adversário que invejam, que temem e odeiam, são coisas que essa escumalha não sabe o que é.
    O que eu não entendo é a ausência de reação da nossa direção, que não defende o clube, designadamente no respeitante à tendenciosa, à vergonhosa nomeação dos árbitros. Por querermos aparecer como diferentes, não protestamos (como fazem os amigos coligados) contra as nomeações e o trabalhinho dos árbitros que habitualmente nos prejudicam, nem contra a nomeação e o trabalhinho dos que, recorrentemente, ajudam os dois rivais. E temos perdido (enquanto os chicos-espertos têm ganho) muitos pontos à conta de sermos uns anjinhos, uns parrecos, uns patos-bravos, uns artolas, uns passarinhos e sei lá que mais.
    A quatro jornadas do final, e quando acabámos de ser atirados para o segundo lugar por mais uma arbitragem habilidosa, parcial (e não dá para perceber os benfiquistas que, justamente agastados com o mau jogo que fizemos, branqueiam a postura de ASD durante TODO o jogo - o homem prejudicou-nos, claramente, como já nos tinha prejudicado noutros jogos, meus amigos!), não será tempo de a direção começar a fazer barulho, a incomodar, a pressionar, como os outros estão fartos de fazer e continuam a fazer? Ou vamos deixar que nos comam por lorpas?
    É um dó ver ASD arbitrar o seu clube (aconteça o que acontecer, este campeonato bem poderá chamar-se o Campeonato Soares Dias). Se tem medo das ameaças que lhe fizeram, e que parece que continuam a fazer-lhe de cada vez que o encontram, os criminosos na Maia, devia de comprar um cão e passar a arbitrar cumprindo as leis do jogo, ou então recusava-se a arbitrar os frutas, ou abandonava a arbitragem. Qualquer das soluções era de homem e de honesto.
    Ao Fontelas, que persiste em nomear para os jogos da frutaria um homem acagaçado por adeptos da frutaria, duas palavras: tenha vergonha!

    ResponderEliminar
  3. A meu ver estás a analisar mal o lance da expulsão do Sérgio Oliveira. O Filipe realmente mete primeiro o braço mas retira-o logo em seguida e depois o que realmente pára o Grimaldo e faz com que ele caia é o braço (gravata) do Sérgio Oliveira.
    Quanto ao lance do penálty sobre o Zivkovic, vendo o desenrolar da jogada em movimento ve-se claramente que o Ricardo mete primeiro o braço à frente do Zivkovic numa deslocação lateral e só depois muda a trajetória e corre em direção à bola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que eu vi, o Filipe faz um bloqueio que pára o Rafa. É isso que dizem os diferentes árbitros. E se o que o Marco Ferreira, o Coroado e outros quejandos dizem tem zero de credibilidade, já o Pedro Henriques e o próprio Duarte Gomes me parecem equilibrados e é essa a opinião deles.
      Quanto ao penalty, eu não digo que o Ricardo não meta o braço. O que acho é que não é o suficiente para ser penalty. O defesa não tem que se afastar para o avançado passar. Seria extremamente forçado marcar um penalty ali.

      Eliminar
  4. Tenho a mesmíssima opinião, Unknown. E mesmo que o Filipe tivesse cometido falta primeiro, o que Sérgio Oliveira fez é considerado conduta antidesportiva, logo, passível de castigo (no caso, cartão amarelo, o segundo, seguido de vermelho).

    ResponderEliminar
  5. rui vitoria jogou no medo para nao perder

    ResponderEliminar
  6. Decidiu bem? Vai ver o lance do Almeida em que levou amarelo e o penalty sobre o Zivkovic. Dois lance iguaizinhos! Dois critérios diferentes! Devia dar direito a irradiação! Aqui não se discute se o lance do Almeida era para amarelo ou falta se quer. Discute-se que o árbitro no mesmo jogo para um lance igual tomou duas decisões diferentes!

    ResponderEliminar
  7. E faltou mandar repetir o livre na jogada do golo, NO LOCAL CORRECTO!!!

    https://1.bp.blogspot.com/-exCKCJSjR3Q/WteGcv9nr5I/AAAAAAAAhDU/eyCx3Dbr0g4ePRh_fRA3LByqWO0-6hUSgCLcBGAs/s1600/Golo.jpg

    ResponderEliminar
  8. Balanço da década em troféus/títulos: SLB= 14 (4 campeonatos+2 Taças de Portugal+5 Taças da Liga+ 3 Super Taças)/FCP=8(3campeonatos+1 Taça de Portugal +0 Taça da Liga+4Super Taças) e SCP=3(0campeonatos+1Taça de Portugal+1Taça da Liga+1Super Taça)!!!

    ResponderEliminar
  9. no inicio da época na teoria tínhamos um melhor plantel, até porque o deles era curto, mas nos 15/18 são equivalentes.
    só que eles em janeiro repararam os buracos e nós não, muito pelo contrario, para alem de que o nosso plantel para alem dos 18 foi todo uma desilusão e na pratica não demonstrou qualidade nenhuma.

    ResponderEliminar

Os comentários são agora automaticamente publicados. Comentários insultuosos poderão ser removidos.