domingo, 8 de agosto de 2021

Continua a pouca vergonha

 Primeiro jogo para o campeonato, primeira vitória mas mais do mesmo em termos de arbitragem.

De facto é inacreditável como o Benfica é constantemente prejudicado. É em todos os jogos, em quase todas as decisões.

Eu não digo que o árbitro (mais o VAR) não tomem algumas decisões correctas. Mas nos lances de dúvida a decisão vai contra nós em 90% dos casos.

Em primeiro lugar tenho que assinar os 13 minutos de descontos. Se estivéssemos em desvantagem ou empatados teria sido assim? Digo com certeza quase absoluta que não.

Depois vamos aos lances mais polémicos. A expulsão de Artur Jorge é um lance discutível. O jogador toca na bola, não há dúvida, mas depois abalroa Waldschmidt. Aliás faz-lhe praticamente uma tesoura. É portanto muito discutível que o VAR intervenha. Mas já sabemos que quando é contra nós intervém sempre. Mas mesmo intervindo não percebo a decisão de anular a falta. E acho que no mínimo seria sempre amarelo. 

Depois há o lance da expulsão de Diogo Gonçalves. Imprudente? Certamente. Com intenção? Decididamente não. Eu aceito a expulsão. O que não aceito é que as decisões sejam sempre no mesmo sentido e sempre a prejudicar o Benfica. Mais uma vez o VAR interveio. 

Este prejuízo do Benfica, que parece premeditado, é evidente se virmos o lance entre o mesmo Artur Jorge e Gonçalo Ramos. Para mim há uma agressão. A bola não está e o defesa ataca Ramos na cara. O árbitro dá o amarelo (bem aqui ao ver o lance) mas curiosamente neste caso o VAR já não acha necessário intervir. Porque será? E porque será que eu não fiquei surpreendido?

Indo agora ao jogo. Acho que com o decorrer do jogo complicámos um pouco o que começámos por tornar fácil. Facilitámos ao sofrer um golo quando deveríamos ter saído da primeira parte a vencer por dois ou três. Jesus facilitou ao não tirar Gonçalves mais cedo e este teve uma entrada completamente imprudente (que aliás lesionou o adversário) e assim deixou a equipa reduzida a 10.

Dito isto, há que salientar também o positivo. Em primeiro lugar Lucas Veríssimo, que foi com muita justiça o melhor em campo, Gonçalo Ramos pelo que jogou e se entregou e enfim toda a equipa pela capacidade de sofrimento e o acerto no final do jogo apesar do cansaço.

Também a dinâmica mostrada na primeira parte foi bastante boa. 

4 comentários:

  1. Ontem eles (árbitro, auxiliares, e VAR), bem tentaram fazer a reedição do clássico "Benfica entra mal no Campeonato".
    Se fosse só um jogo, até poderíamos aceitar, pois arbitragens infelizes que complicam a vida a uma equipa acontecem sempre, mas há aqui um padrão que já vem da época passada onde se calhar com um pouco mais de "barulho" ou voz "mais grossa", estaríamos no meio de uma eliminatória entre o Porto e outro clube qualquer. Mas não, como nos calámos a época toda, a eliminatória é mesmo entre o Benfica e o Spartak, e correndo bem, ainda teremos outra eliminatória com o PSV (muito provavelmente).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero com isto dizer que fomos vergonhosamente roubados, nada disso, hoje em dia já não se vêm roubos descarados como noutros tempos. O que aconteceu foi o normal de em caso de dúvida, decidir sempre pela opção que menos beneficia o Benfica. É óbvio que haverão sempre decisões contra nós, mas em princípio essas decisões serão equilibradas com outras a favor, e o que é certo é que actualmente essas decisões favoráveis são muito raras e aparecem normalmente quando até nem são assim tão úteis, são como presentes envenenados que nos deixam sujeitos aos ataques dos dragartos, mas em termos práticos não nos beneficiam grande coisa.

      Eliminar
    2. Nem mais. É isso mesmo. A nossa comunicação há muito tempo que não vale nada, pelo que nos tornamos num alvo muito fácil.

      Eliminar
  2. no primeiro caso ou existe falta, e é expulsão já que o cartão é por cortar jogada eminente de perigo não é pela gravidade da falta, ou não é falta.
    neste caso considerando que o jogador toca a bola a expulsão era incompreensível.

    sobre o lance do diogo nem podemos falar até porque ele lesiona o outro.

    mais uma vez o problema não são o lances mais graves, que tirando talvez o do gonçalo que eu não viu e à quem diga que foi murro e à quem diga que foi puxam, que foram bem decididos o mal esteve no critério disciplinar, no jogo todo, e o critério técnico na segunda.

    o amarelo ao taarabt é exagerado, para o critério utilizado, e o do weigl é uma anedota ele sofre falta que o desequilibra e por isso comete falta e leva amarelo.

    mas se a maneira como comunicamos, e a nossa postura, é a mesma como é que se pretendiam coisas diferentes ou alguém acha que os outros vão mudar maneira de actuar por altruísmo.
    só fica surpreendido quem é ingénuo.

    ResponderEliminar

Os comentários são agora automaticamente publicados. Comentários insultuosos poderão ser removidos.