sexta-feira, 12 de abril de 2024

Eriksson merecia mais

 O Benfica estava a fazer uma exibição razoável e tinha a eliminatória controlada.

Em Anfield a Atalanta vencia confortavelmente. 

Até que António Silva comete um erro enorme e abre uma autoestrada para o golo de Aubameyang que toda a gente sabia ser o mais perigoso jogador do Marselha.

Desde então o Benfica não mais se encontrou. Em vez de ajudar, o estádio só contribuiu para uma maior intranquilidade da equipa. Absolutamente lamentável, considerando até que Eriksson tinha acabado de ser homenageado e merecia um fim de jogo completamente diferente.

É óbvio que Schmidt poderia e deveria ter refrescado a equipa que já se sentia pesada. Certamente que sim. Mas não é por os adeptos assobiarem (inclusive Di Maria...) que Schmidt vai mudar. A única coisa que conseguiram foi perturbar e desmotivar uma equipa que sofreu 2 enormes revezes na passada semana.

Veremos se um golo de vantagem chega. De uma coisa tenho a certeza: em Marselha o ambiente será efervescente e de apoio incondicional à sua equipa. Mesmo que esteja a perder. Cada um que tire as suas conclusões. As minhas são claras: os adeptos do Benfica tiveram uma prestação miserável, vergonhosa. Além do já referido houve ainda confusão com as claques. (Quando é que acabam com os NN ou pelo menos tiram dali os inúmeros elementos criminosos que enquinam tudo e prejudicam o Benfica?) 

Volto à questão Liverpool. Como antevi, os ingleses pouparam jogadores. Disse que isso aumentava as hipóteses das outras equipas. Mas não antecipei que ficassem praticamente eliminados na 1a mão. Agora isto também mostra que a Atalanta (como já se vira com o Sporting) é uma equipa muito forte. Seja como for, o Benfica tinha (e continua a ter) uma janela de oportunidade para chegar à final e, quem sabe, finalmente voltar a vencer uma competição europeia. Agora todos têm de refletir. Todos. Não é só o treinador, são os próprios jogadores e dirigentes. Sentem-se à mesa, falem abertamente. Identifiquem os problemas e fortaleçam o espírito de grupo. E os adeptos que tenham juízo e deixem de criar mau ambiente. É triste. É um Benfica que eu já não reconheço. 

segunda-feira, 8 de abril de 2024

Mourinho? Por favor poupem-nos...

 Mourinho tem assistido a quase todos os jogos do Benfica, o que evidentemente tem a leitura - que o próprio não desconhece - de que está interessado no lugar de treinador do nosso clube. Assim, para todos os efeitos, Mourinho está-se a "oferecer" ao Benfica.

Schmidt deverá sair (quem sabe se até para o Bayern, que não conseguiu garantir Alonso e não deverá conseguir também Amorim), pelo que o Benfica deverá necessitar de um novo treinador. E as opções não abundam: Abel Ferreira, que agradaria a muitos (incluindo a mim) já disse que fica no Palmeiras mais dois anos (tudo pode mudar, mas seguramente não sairá nos próximos meses, que é quando necessitaremos de ter um treinador para a próxima época) e Marco Silva (outro nome sempre falado) também não deverá querer deixar um salário milionário e uma liga de topo onde acha que ainda pode chegar mais longe. 

Mourinho, de longe o treinador português mais titulado, surge assim como uma opção que alguns não vêem com maus olhos. Simplesmente o Mourinho que ganhou não é o mesmo de agora. O grosso dos títulos de Mourinho datam do período  2002-2010. Depois disso Mourinho ainda ganhou alguma coisa com o Real Madrid (não ganhar no Real é a excepção), um novo título de campeão no Chelsea (2014-2015) e taças no primeiro ano do Manchester United (2016-2017). Mas exceptuando a Liga Conferência (uma competição terciária) nunca mais voltou a vencer o que quer que fosse. Ou seja o período áureo de Mourinho data de há quase 15 anos e o último período vencedor de há quase 8. 

Isto acontece porque a "fórmula Mourinho" deixou de funcionar. Os treinadores em geral tornaram-se mais evoluídos tacticamente e Mourinho não tem já a idade ou a criatividade para se reinventar e apresentar algo de novo que seja eficaz. Pelo contrário, neste momento apenas "amarra" as equipas que treina a esquemas tácticos que limitam as capacidades dos jogadores. Por outro lado, o lado mental, a garra e concentração que as suas equipas tinham já não é um factor diferenciador. Note-se que mesmo esse efeito se perdia invariavelmente no segundo ou mais tardar o terceiro ano.

Veja-se como Mourinho não trouxe nada de novo ao Tottenham ou à Roma (que investiu mais do que nos anos anteriores, tendo ido buscar jogadores como Abraham, Dybala ou Lukaku). Aliás, desde a saída de Mourinho que a Roma começou a jogar muito melhor, a marcar mais golos e a ganhar mais jogos. As estatísticas de Mourinho na Roma são: 138 jogos, 68 vitórias, 31 empates e 39 derrotas (49,28% de vitórias). As de De Rossi são 15 jogos, 10 vitórias, 3 empates e 2 derrotas (66,66% de vitórias). 

Em conclusão, considero que Mourinho seria uma péssima escolha. É um treinador que merece respeito pelo seu percurso mas que cuja fase melhor da carreira já passou. Não trará nada de particularmente relevante mas quase de certeza porá o Benfica a jogar um futebol deprimente. Não é disso que precisamos.

Outras possibilidades? Cabe aos departamentos especializados e bem pagos no Benfica identificarem. Varandas até pode ser um péssimo gestor mas tomou duas excelentes decisões que farão dele para a posteridade um presidente muito importante da história do Sporting: o fim do apoio às claques e a contratação (que muitos consideraram louca) Amorim pagando uma cláusula de rescisão nunca antes vista em Portugal e a terceira maior (após a penalidade por pagamento em atraso) do futebol mundial por um treinador. 

Mas atenção: há muito mais coisas que estão mal no Benfica para além da questão do treinador. Há que tirar ilações do investimento colossal (à nossa dimensão) feito sem qualquer retorno. Na aposta em jogadores manifestamente sobrevalorizados, na contratação em campeonatos mais caros do que o nosso, nunca se apostando no mercado nacional, nas lacunas evidentes no plantel logo ao começar a época, entre outros erros de palmatória.

Rui Costa tem a palavra.

Uma janela de oportunidade

 O Benfica perdeu numa semana as duas competições nacionais. Todos vimos o que aconteceu e como, não quero escrever nada sobre o assunto.

Com o campeonato arrumado (a derrota do Porto assegura o 2° lugar), abre-se uma janela para a Europa. A partir daqui podemos concentrar-nos quase exclusivamente nas competições europeias. 

Nos quartos de final recebemos na primeira mão um Marselha completamente em cacos. O Benfica vem de duas derrotas duríssimas mas pelo menos tem a consciência de que jogou bem e que tudo fez para ganhar. O Marselha vem de 4 derrotas e más exibições. Na Luz precisamos de fazer uma exibição convincente e ter finalmente eficácia. 

Se passarmos esta etapa - e francamente temos obrigação de o fazer - seguidamente tudo é possível. Em circunstâncias normais, o Benfica não tem hipóteses contra o Liverpool. Mas o Liverpool está neste momento numa luta ombro a ombro com Arsenal e City na recta final do campeonato inglês. Não há dúvida de que essa será a sua prioridade. Isto aumenta um pouco as chances das outras equipas na Liga Europa.

Saiba Schmidt agora tirar partido na Europa da situação em que nos encontramos (perfeitamente resolvida) a nível interno. 

quinta-feira, 4 de abril de 2024

Toque a reunir

 O Benfica foi prejudicado na eliminatória da Taça? Foi, mas vamos esquecer isso.

Vamos esquecer isso e todas as dúvidas que possamos ter acerca do treinador, da composição do plantel, deste ou daquele jogador.

Já se percebeu que em caso de dúvida as decisões são contra o Benfica, que Di Maria pode levar pancada à vontade que não se marcam faltas e que o Sporting este ano é o querido dos árbitros.

A nossa tarefa - vencer em Alvalade - torna-se assim quase hercúlea.

Por isso eu apelo aos benfiquistas: pelo menos esta semana estejamos unidos à volta da equipa. Que os jogadores possam sentir todo o nosso apoio e carinho. A forma como se bateram para vencer na passada terça-feira honrou os pergaminhos do Benfica. Foi até ao último minuto e até à última gota de suor. 

Sábado terão - teremos - uma nova oportunidade. Vencendo colocamo-nos numa excelente posição para renovar o título de campeões.

Apelo por isso ao benfiquismo de todos para neste momento fazermos jus ao lema do nosso clube. 


Atualização - com a nomeação (que era já praticamente certa) de Soares (a) Dias, a tarefa tornou-se ainda mais difícil. E não, isto não é começar já com desculpas. A este sr. conheço eu de gingeira há muitos anos: 


Para quem não se lembra, Soares Dias não assinalou nenhum destes penalties a favor do Benfica mas viria a assinalar um contra (que fez com que perdessemos o jogo e qualquer hipótese de discutir o campeonato com o Porto) muito menos evidente.


https://justicabenfiquista.blogspot.com/2019/03/o-melhor-arbitro-portugues.html 

Mas a cair, ao menos que seja de pé.

terça-feira, 2 de abril de 2024

Benfica-Sporting - acompanhamento em direto

Atualizações


Equipas oficiais

Benfica: Trubin, Bah, Otamendi, António Silva, Aursnes, Florentino, João Neves, Neres, Di Maria, Rafa, Tengstedt

Sporting: Franco Israel, Diomande, Coates, Inácio, Esgaio, Hjulmand, Daniel Bragança, Nuno Santos, Trincão, Paulinho, Gyökeres


Neres mantém-se na equipa, ao passo que Cabral perde a titularidade para Tengstedt. No Sporting a surpresa maior é Bragança no lugar de Morita. 


15'30" - Tengstedt faz um chapéu subtil a Israel e a bola vai à barra. 

19'30" - oportunidade flagrante de Di Maria já praticamente dentro da pequena área. A bola foi "ao boneco" 

O Benfica domina mas ainda não conseguiu marcar 

33' mais uma jogada perigosa do Benfica com Tengstedt a ser carregado em falta mesmo à entrada da área com o árbitro a nada assinalar 

37'30" mais uma falta à entrada da área, desta vez sobre Di Maria não assinada. O árbitro assinala mesmo falta de Di Maria 😂

45"+3 cartão amarelo a Di Maria por chutar a bola após o apito do árbitro 

Final da primeira parte 

Adeptos do Sporting fazem a festa 

Boa primeira parte do Benfica mas faltou o golo para dar expressão ao domínio de jogo e assim o Sporting continua à frente na eliminatória 

Sporting muda 3 jogadores da linha defensiva ao intervalo 

Início da segunda parte 

45'30" - primeiro remate (e com perigo) pertence ao Sporting 

46" Golo do Sporting por Hjulmand

52" golo do Benfica por Otamendi 

54'20" golo do Sporting por Paulinho. Katamo mais uma vez surge quase sozinho na esquerda e Trubin defende para a frente oferecendo o golo a Paulinho 

O Benfica agora arrisca muito. Ou marca em breve ou arrisca sofrer novo golo e perder a eliminatória em definitivo 

Bola ao poste de Gyokeres

64' Golo de Rafa

72' Penalti não assinalado sobre Rafa 

Domínio avassalador do Benfica 

Algum cansaço (natural) nota-se na nossa equipa. Os jogadores têm dado tudo 

89' Grande oportunidade do Benfica 

Final da partida. Pelo meio houve um novo lance duvidoso na área do Sporting 

O Benfica mereceu pelo menos o prolongamento. Resta agora ir vencer a Alvalade. 


Caros benfiquistas, a esperança é sempre a última a morrer, pelo que continuamos a esperar uma época vitoriosa. Para já joga-se a passagem à final da Taça de Portugal e logo num derbi, aliás o derbi eterno.

Farei atualizações ao longo do dia e, dependendo do interesse e participação dos benfiquistas, eventualmente também ao longo do jogo.


Quem está mais pressionado? É difícil de dizer, porque se por um lado o Sporting tem estado melhor e os seus jogadores parecem mais confiantes, por outro o Benfica este ano já ganhou um título (supertaça) e já venceu o Sporting na Luz. Neste momento o Sporting parece ter mais a perder do que o Benfica. Por outro lado, Rúben sabe que só irá para o Liverpool se alcançar títulos. E ir treinar o Liverpool não é para qualquer um nem é uma oportunidade que se repita. Basta dizer que Eriksson admitiu recentemente que treinar o Liverpool era o seu sonho. Amorim está portanto sob fortíssima pressão.

De certo modo o Sporting encontra-se na mesma situação que em 2005 com Peseiro: pode ganhar ou perder tudo numa semana.


Grimaldo envia o seu apoio ao Benficahttps://www.abola.pt/futebol/noticias/grimaldo-publica-mensagem-antes-do-benfica-sporting-2024040215581744661


A minha previsão para o 11: Trubin, Bah, Otamendi, António Silva, Aursnes, Florentino, João Neves, João Mário, Di Maria, Rafa, Arthur Cabral.

A maior dúvida para mim é quem jogará do lado esquerdo. Neres tem tido a posição nos últimos jogos mas tem estado algo apagado. Além disso, Schmidt poderá querer dar outro tipo de equilíbrio ao meio campo e daí a inclusão de João Mário. Também poderia ser Kokçu mas o que aconteceu com a entrevista e também em Alvalade (onde jogou nessa posição e mal), leva-me a postar em Mário. Na frente também existem algumas dúvidas, podendo jogar qualquer um dos três avançados que temos. 

sábado, 30 de março de 2024

Más sensações

 Mais ainda do que o resultado, a magra vitória ou a exibição, o jogo de ontem deixou-me más sensações. Foram os 3 penaltis falhados, dois deles por Cabral que até tinha voltado à titularidade, os assobios a Kokçu, uma falha que podia ter sido comprometedora de Trubin e um par de calafrios antes do fim do jogo. Nas vésperas dos dérbies, o Sporting venceu um jogo complicado e os seus atletas acabaram todos abraçados, ao passo que na Luz o ambiente não era famoso. Veremos se isto é prenúncio de alguma coisa já daqui 3 dias. Até lá, boa Páscoa. 

quinta-feira, 21 de março de 2024

A pausa antes da decisão final

 Esta pausa nas competições clubísticas parece autenticamente um intervalo comercial para aguçar o apetite do espectador pelo desfecho final. Um expediente de suspense. Até porque estes jogos das seleções não têm o mínimo interesse.

O Benfica partirá para a fase final da época sem qualquer margem de erro. O Porto já está fora da luta pelo título e o Sporting parte na melhor posição possível, na liderança e dependendo de si, ainda com margem de erro, para ganhar as duas competições nacionais.

No dia 3 de março, imediatamente antes do jogo com o Porto escrevi que era o jogo decisivo. Uma não vitória nesse jogo (estava muito longe de imaginar que um desastre daqueles poderia acontecer)  

"abre caminho para o Sporting assumir a liderança à entrada na recta da meta, ficando [o Benfica] depois dependente de uma vitória improvável (pois o Sporting jogará de cadeirinha, no seu estádio, bastando-lhe um empate) e já quase desesperada no dérbi".

É esta a situação em que estaremos quando as competições reatarem. E é bom termos essa consciência.

Primeiro que tudo teremos o Chaves em casa. É o último classificado, não pode haver margem para qualquer tipo de deslize. Atenção: não é jogo para estar a tentar "demonstrar" seja o que for, colocar muito o pé no acelerador e ir em busca de goleadas. Há que entrar forte para tentar resolver o jogo cedo e se possível gerir depois. Isto porque 4 dias mais tarde recebemos o Sporting para a Taça.  Um jogo também de grande importância: vale uma final da Taça.

E outros quatro dias depois temos o derby decisivo para o campeonato.

 Vencer em Alvalade? Sim, é obrigatório. A "leveza" com que Schmidt encarou o jogo com o Porto transmitiu-se à equipa, enquanto do outro lado o adversário viu aquele jogo como "de vida ou de morte". Agora será a mesma coisa. Tudo bem que o Benfica possa ter um estilo mais pausado e menos "voraz" do que o Sporting. Mas se nestas partidas não equiparar - no mínimo - a agressividade e intensidade do adversário, voltará a perder e poderá colocar em causa até o segundo lugar. Este é o tudo por tudo. Há que ganhar ou ganhar. Não é um jogo de desespero, é um jogo para conquistar a vitória. Para ir a Alvalade recuperar pontos de que precisamos para o objectivo do título. Esta mensagem muito simples tem de ser passada aos jogadores, ao mesmo tempo que é preciso escalar uma verdadeira equipa, não apenas 11 indivíduos a correr cada um para seu lado. A táctica tem de ser a certa mas os jogadores também têm de dar tudo, não é cada um estar apenas preocupado com o seu rendimento individual e o que se dirá sobre si.

Vencendo em Alvalade o Benfica ficaria na liderança à condição, sendo que o Sporting terá ainda uma deslocação ao Porto e o tal jogo em atraso que obrigatoriamente terá de vencer para regressar ao 1º lugar. Isto partindo do pressuposto de que o Sporting ganha na Amadora antes dos jogos com o Benfica. Se não o conseguir, as coisas podem tornar-se um pouco mais risonhas para nós.