quinta-feira, 28 de março de 2013

Primeira de sete finais

O Benfica joga amanhã em casa contra o Rio Ave a primeira de 7 finais.
Uma vitória deixa-nos um passo mais próximos do título, mantendo o rumo que vimos delineando praticamente desde o início do Campeonato. A atitude terá que ser a mesma, a aplicação a mesma, a seriedade a mesma. O Benfica tem que se manter concentrado e não se distrair nem desfocar um milímetro do seu rumo, apesar das provocações e trapaças que serão até ao final encomendadas por Pinto da Costa e o seu Porto que, não sabendo o que é ganhar de forma limpa, menos aceita perder apesar das ajudas (que foram já várias este ano).
Ganhando os seus jogos, o Benfica não terá que se preocupar com os resultados do adversário. Esse tem sido o nosso rumo e a receita para o que de bom tem acontecido esta época. O Benfica tem olhado para si e apenas para si, mesmo quando ser campeão parecia uma impossibilidade matemática tal o grau de ajudas de que o Porto beneficiava. Com efeito, durante as várias jornadas em que Benfica e Porto estiveram lado a lado, várias foram as ocasiões em que, parecendo que o Porto estava em sério risco de perder pontos, os árbitros deram uma generosa ajuda. Foram penalties perdoados (as célebres intervenções de Alex Sandro entram diretamente para o anedotário futebolístico nacional), foras de jogo mal assinalados a adversários e expulsões caricatas de adversários, para além de penalties mais que duvidosos marcados a favor do Porto, foram, enfim, uma série de intervenções que pareciam provar que o Porto não podia perder pontos. Mas perdeu mesmo, apesar de um desses penalties duvidosos e logo num jogo em que tal parecia impossível (com o Olhanense) e logo após uma proençada de todo o tamanho na Choupana.
O caminho do Benfica para o título continua portanto a ser o mesmo - não olhar para o lado e continuar a abordar todos os jogos da mesma forma, pois nada está ainda ganho e muito menos garantido.

Do público da Luz espera-se o mesmo apoio e uma presença maciça, pois entrámos na fase das decisões finais.

Para além do campeonato há mais para ganhar, disso não existem dúvidas. Mas temos que olhar para cada jogo de forma separada, não pensando logo no que se segue. Enfim, muito disto são lugares comuns do futebol, mas não deixam de constituir a base indispensável de uma equipa ganhadora e de uma época de sucesso. Como desejamos e acreditamos que esta nossa seja.

Boa Páscoa a todos.