sexta-feira, 3 de maio de 2013

Para falar de (mais) coisas boas

Para além da grande alegria que o Benfica nos proporcionou desportivamente, há alguns outros aspetos que merecem ser destacados e que são notas positivas para o futuro. O futebol - nunca é demais recordá-lo - é um jogo e uma festa, apesar das emoções exacerbadas e por vezes excessivas. Há valores desportivos que devem sempre estar num plano superior ao do ganhar e perder. Porque todos ganham e perdem, em diferentes momentos, e porque há uma ética que faz parte da cultura desportiva que nunca deve ser esquecida. Nessa medida, queria destacar antes de mais o comportamento praticamente exemplar de todos os espectadores, de ambos os clubes, na noite de ontem. Para além de alguns desentendimentos, perfeitamente compreensíveis, entre uma franja de adeptos turcos que se encontrava entre os sócios benfiquistas aquando do golo do Fenerbahçe, que não passaram disso mesmo e se explicam pelas circunstâncias do mesmo, houve respeito mútuo e salutar desportivismo. Destaco dois momentos: o aplauso de todo o Estádio aquando da lesão do jogador turco e o aplauso mútuo entre adeptos benfiquistas e turcos, quando os da casa saíram e se despediram dos visitantes. Foi realmente bonito. Para além disso, os apoiantes do Fenerbahçe devem ser elogiados pela claque que trouxeram à Luz, muito impressionante. Só que a noite era do Benfica e os ruidosos turcos foram completamente abafados e submergidos pelo inferno... Penso também que deve ser registado o comportamento dos sportinguistas. Muitos me deram os parabéns e muitos me disseram que torceram pelo Benfica. Também já o seu presidente felicitou Luis Filipe Vieira. O futebol deve ser isto e o Sporting deve seguir este caminho: afirmar-se, defender os seus interesses, rivalizar com o Benfica, mas nunca se deixar instrumentalizar num anti-benfiquismo de quem não vê mais do que um palmo à frente do nariz. Finalmente, apesar do Estádio não ter enchido, o ambiente foi fenomenal e as coreografias lindíssimas. Quem ainda não viu as fotos que aqui publiquei não deixe de clicar neste link.

Benfica-Fenerbahçe - reportagem

Antes do início da partida.
Durante o hino do Benfica.
A coreografia que recordava a final de Amsterdão de 1962 e  assinalava a coincidência de datas (2 de Maio), antevendo nova presença naquela cidade holandesa.
Nova imagem do pano que desceu do topo sul. Nas restantes bancadas viam-se as estrelas da Liga Europa.
Adeptos começam a festa.
A equipa agradece o apoio e comemora a passagem à final.
Claques também participaram das coreografias.
No fim voltou-se a cantar o hino do Benfica.
Impressionante jornada benfiquista. Tinha aqui pedido um Estádio cheio para criar o ambiente de que precisávamos. A lotação não esgotou - estiveram 55.000 pessoas na Luz - mas os benfiquistas que marcaram presença criaram um verdadeiro inferno para a equipa turca e carregaram a nossa equipa ao colo para Amsterdão. Naquela segunda parte as pernas dos nossos jogadores correram ao ritmo do clamor das bancadas, esquecendo todo o cansaço e desgaste. No fim do jogo era evidente a alegria dos jogadores e o reconhecimento aos adeptos pelo imprescindível apoio. A volta dada ao campo testemunhou isso mesmo, bem como a grande união entre jogadores e sócios e simpatizantes. Quase cheguei a ter pena dos turcos, dado o evidente desnorte que sentiram face àquele ambiente. Vinham com esperanças e trouxeram muitos adeptos mas de facto não tiveram qualquer hipótese. Talvez tenha ainda oportunidade de fazer uma análise um pouco mais detalhada do jogo e publicar mais algumas fotos. Por agora ficam estas imagens e notas quase soltas de uma grande noite europeia que marca o regresso do Benfica a um lugar que lhe é natural. Parabéns a todos os benfiquistas que ontem estiveram na Luz. Sem eles não teria sido possível dar a volta ao jogo.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Oportunidade única

O Benfica tem este ano uma oportunidade única de, pelo menos, estar na final da Liga Europa.
O adversário é forte mas acessível, o resultado a meio da eliminatória é desfavorável mas reversível. Jogamos em casa.
A presença na final da Liga Europa não é equivalente à presença na final da Liga dos Campeões, mas temos que ter o bom senso de reconhecer que com colossos como o Bayern de Munique, que reduziu a  pó o super-Barcelona, ou o Dortmund, que fez do Real de Mourinho uma equipa vulgar na 1ª mão, já para não falar de Manchester United e outros, será sempre muito difícil ao Benfica conseguir alcançar o topo do futebol europeu. Difícil, claro está, não equivale a impossível. Mas até por isso é importante conseguirmo-nos afirmar nesta competição que antigamente se chamava Taça UEFA e que, depois também de extinta a Taça dos Vencedores das Taças, se transformou em Liga Europa.

De alguma forma é positivo que este jogo esteja a ser encarado com alguma "normalidade" por adeptos e imprensa. É sinal de que o Benfica está bem, está forte e que não constitui uma surpresa por aí além estar onde está: a um jogo da final.

Ainda assim, esse jogo tem que ser um grande jogo, com um grande futebol por parte da nossa equipa, com um tremendo apoio das bancadas.

Daí eu renovar o apelo já feito por jogadores e Jorge Jesus: TODOS À LUZ! Quem é benfiquista e reside na área de Lisboa e ainda não comprou bilhete, não é tarde! Não fiquem no sofá a olhar para a televisão. Esta é uma oportunidade única! Tragam os vossos amigos, os vossos pais, os vossos filhos. Ainda há bilhetes. O Benfica precisa de todos. Vamos ajudar a equipa a chegar à final de Amsterdão. 

A época de sonho está agora ao nosso alcance! Ajudem a nossa equipa a tornar esta noite mais uma jornada inesquecível para o Benfica.

Alerta vermelho



Há muitos, mas mesmo muitos bilhetes disponíveis para o jogo de amanhã.

Eu sei que estamos numa crise, que há alguns jogos ainda para ver, incluindo a desejada consagração de campeão e a final do Jamor, sei que jogámos há pouco mais de uma semana com o Sporting e tivemos Estádio cheio, sei finalmente que os preços são um pouco altos.

Mas isto é uma meia final europeia! Uma vitória por 2-0 dá-nos a possibilidade de voltar a estar numa final 23 anos depois!

Para mim é incompreensível e até triste que o Estádio não venha a estar cheio!

Penso mesmo que é um mau sinal para a equipa, que tanto pediu o apoio para o jogo.

É preciso os benfiquistas que têm alguma capacidade de fazer passar a mensagem, designadamente sócios, benfiquistas de Lisboa e aqueles que têm blogs fazerem um apelo para convencer mais adeptos a ainda durante o dia de hoje comprarem bilhetes e ir ao Estádio.

É difícil criar um ambiente como o que precisamos sem um Estádio completamente cheio.

Eu lá estarei e aqui fica o meu apelo aos que ainda não compraram bilhetes.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Benfica-Fenerbahçe - regresso à Europa

O Benfica venceu ontem o Marítimo, num jogo em que todos viram e perceberam o que se passou, não valendo a pena grandes análises. Vitória indiscutível e o campeonato quase conquistado: com alguma fortuna poderia até ser já na próxima semana. Ainda que assim não aconteça, ou seja, mesmo que o Porto vença o Nacional, a vitória sobre o Estoril significa um ponto final nas dúvidas, ficando apenas a faltar a confirmação "matemática". Mas sobre isso teremos ainda tempo de falar.

Agora é altura de apontar baterias à Liga Europa.

O Benfica foi grande na Europa nos anos 60, alcançando finais, conquistando títulos e granjeando prestígio e respeito a nível mundial.

A década seguinte não foi positiva a este nível mas nos anos 80 o Benfica volta à ribalta: a uma meia final da Taça das Taças em 80/81 segue-se uma final da Taça UEFA em 82/83 e uma final da Taça dos Campeões em 87/88. Depois de empatar a 0, o Benfica recebeu e venceu o Dínamo de Bucareste por 2-0 com dois golos de cabeça de Rui Águas. Foi o regresso à final da Taça dos Campeões 20 anos depois. Infelizmente, o Benfica perderia essa final por penalties contra o PSV Eindhoven.
Dois anos depois, o Benfica estava numa nova final. Foi a célebre meia final da mão de Vata (ainda hoje o jogador diz que meteu o peito). Depois de perder 2-1 em Marselha, contra uma equipa fortíssima onde pontificava Papin, o Benfica vence por 1-0 em casa, com o golo já referido a surgir perto do fim do jogo. Também essa final não seria feliz para o Benfica, tendo sido batido pelo grande Milão (campeão em título) de... Maldini, Costacurta, Baresi, Ancelotti, Rijkaard, Van Basten e Gullit por apenas 1-0, com o golo a surgir já na fase final do jogo. Note-se que este Milão tinha vencido no ano anterior a mesma Taça, batendo na final o Dínamo de Bucareste por 4-0 (2 de Gullit, 2 de Van Basten), tendo nas meias finais atropelado o Real Madrid: depois de um empate a 1 na primeira mão, os italianos deram 5-0 aos espanhóis em San Siro. E uma outra equipa do Milão, já sem quase todos os jogadores que defrontaram o Benfica, viria, apenas 4 anos depois, a vencer nova Taça, desta vez goleando o Barcelona por 4-0.

Com equipas relativamente medianas, o Benfica conseguia portanto proezas surpreendentes, embora perdendo as finais. Era porém difícil fazer melhor.

Em 1993/94, o Benfica está a um passo de nova final, desta vez da Taça das Taças. Na equipa pontifica Rui Costa, mas há vários jogadores já demasiado veteranos: Mozer com quase 34, Isaías com 30 e Veloso, que é titular na 1ª mão, com 37 anos! Na primeira mão na Luz o Benfica vence por 2-1 e na segunda sofre o golo da eliminação aos 77'.

Finalmente em 2010/11, aconteceu algo de muito infeliz e doloroso para o Benfica, com a eliminação nas meias finais frente ao Braga. Também nessa ocasião o Benfica jogou primeiro em casa e venceu por 2-1, tendo depois na 2ª mão jogado em Braga e perdido por 1-0. Foi uma eliminatória "esquisita", no meio de uma época para esquecer, em que o Braga pode agradecer a todos os santinhos ter passado, pois o azar do Benfica foi quase inacreditável. Como é sabido, o Porto viria a bater o Braga na final, com um golo de Falcao em fora de jogo.

Ou seja, dois anos depois o Benfica tem uma nova oportunidade de estar presente numa final europeia, algo que não acontece há 23 anos.

Nessa ocasião, tal como dois anos antes, o Benfica resolveu a eliminatória na 2ª mão no Estádio da Luz, uma vez vencendo por 2-0, na outra por 1-0. Já nas meias-finais perdidas, contra o Parma e o Braga (nomes curiosamente parecidos), a 1ª mão jogou-se na Luz. Esperemos que isto sejam bons augúrios, uma vez que iremos novamente e pela terceira vez em 25 anos enfrentar o jogo decisivo da eliminatória em nossa casa.

Depois de um ensaio, chegou agora a hora de recriar o verdadeiro inferno da Luz.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Força Campeões

Estes atletas do Benfica são campeões e vão-no demonstrar hoje na Madeira vencendo o Marítimo.
Este é o momento da VERDADE, esta é a semana das decisões.
Em Portugal existe há 30 anos um ambiente de mentira, de corrupção, de batota e de compadrio, cujas ramificações não conhecemos ainda senão superficialmente.

Depois de uma vitória indiscutível sobre o Sporting, num contexto de enorme, extrema pressão, por não existir margem de erro, por todos nos fazerem crer - e nós próprios já acreditarmos nisso - que para o Benfica ser campeão precisa não de ter mais um ponto do que o Porto mas sim 4!

Sim, nesta farsa portuguesa, que Gil Vicente se fosse vivo parodiaria e desmascararia, chamada futebol português, todos aceitam que se o Porto "precisar" vencerá mesmo o Benfica, apesar de todos reconhecerem que o Benfica é melhor, joga melhor, tem mais soluções, tem mais futebol e mais classe.

Todos dão como adquirido que se o Benfica tiver menos de 4 pontos de vantagem ao visitar o "dragão" já não conseguirá ser campeão, pois com bolas de golfe, com pedradas, com insultos, com batota, com arbitragem, (com doping?) o Porto derrotará o Benfica e será novamente campeão.

Nada interessa que o Porto tenha que ir a Paços de Ferreira na última jornada, defrontar o clube que é a sensação da prova e está 4 pontos à frente do Braga, enquanto o Benfica defrontará em casa o Moreirense.

Nada disso conta, porque se o Porto "precisar" ganhará mesmo, custe o que custar.

Hoje não haverá desculpas, não recorreremos a nenhuma desculpa pois juntos, com grande apoio dos nossos adeptos da Madeira daremos a primeira de várias bofetadas de luva branca num clube confessadamente batoteiro e absolutamente descarado e desavergonhado. Depois de ganhar anos a fio com favores de arbitragem COMPROVADOS, com CORRUPÇÃO DEMONSTRADA POR PROVAS INDESMENTÍVEIS, este clube lança um ataque absolutamente despudorado com a cobertura e a boleia de grande parte da comunicação social, aos árbitros, tentando uma vez mais e PERANTE A COMPLACÊNCIA DE TODO O PAÍS, condicioná-los e vencer através da batota e da adulteração da verdade desportiva.

Não passarão!

O Benfica vai vencer esta noite na Madeira. O Benfica vai ser Campeão com todo o mérito.

Os nossos atletas já são Campeões em espírito pela forma como resistiram a tudo a esta época, durante estes longos meses de ataques, de chicana, de pressão, de aldrabices.

Neste próximo mês, com o nosso apoio e confiança, conquistarão títulos de direito, dentro do campo.