segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Exibição segura, melhorias sensíveis.

O Benfica entrou bem no jogo, ao contrário do que aconteceu nos anteriores e isso fez toda a diferença.
Mas entrou mesmo bem, ou seja, entrou com o 11 correcto para este jogo. Já tinha anteriormente defendido que o meio campo deveria ter uma composição mais equilibrada e penso que foi exactamente isso que aconteceu com André Gomes a ajudar Matic e Enzo Perez (que, já o disse muitas vezes, tem cultura futebolística e de equipa) a ajudar os dois nos terrenos mais centrais, libertando Ola John para ir à linha e procurar os desequilíbrios.
Por outro lado, defendo também há bastante tempo que Luisinho exibia alguma segurança e rotina de posição pelo que merecia uma oportunidade. Fiquei portanto satisfeito com o 11 apresentado e, graças à fortuna que também é necessária no futebol, entrámos a ganhar o que deu outra tranquilidade à equipa.
Deve-se igualmente destacar Lima, que voltou a mostrar ser neste momento o jogador mais perigoso do Benfica e ter compreensão pelo momento menos positivo de Cardozo. A qualidade e eficácia de Lima não nos deve levar a desvalorizar Cardozo mas sim a sentirmo-nos felizes por termos mais opções e mais qualidade no ataque.
Considero por fim que a arbitragem foi isenta, que é o que se pede. Erros acontecem sempre, o que é importante é que não se detecte uma vontade da arbitragem em penalizar uma equipa em benefício de outra, o que é denunciado por se "errar" ou decidir sempre no mesmo sentido. Entre a arbitragem de Vasco Santos no sábado e as de Xistras, Capelas e Benquerenças nos passados compromissos do Benfica houve portanto uma diferença abissal, que se regista e aprecia. O futebol deve ser limpo porque assim é que é bonito.
Quanto ao Porto também nada a dizer da sua vitória, que conquistou com a qualidade e segurança que vem exibindo nos últimos jogos. Martinez parece ser mesmo craque, o que obviamente não é bom para nós mas deve ser encarado com naturalidade. Felizmente temos também Lima, Rodrigo e Cardozo, que entre si totalizam 12 golos contra os 6 de Jackson. Se o Benfica for fazendo o que deve - e se Jesus souber, como soube sábado, perceber do que equipa precisa para ser forte e equilibrada - temos todas as hipóteses de lutar pelo campeonato até ao fim e, se formos inteligentes e felizes, conquistá-lo. Em três deslocações difícieis (Paços, Setúbal e Barcelos) fizemos 9 pontos, o que é muito positivo.
Em termos de campeonato só contra o Beira-Mar o Benfica jogou francamente mal, ao passo que contra o Braga faltou alguma serenidade (sobretudo em virtude da impreparação, naquele momento, de Melgarejo para o lugar) e contra a Académica foi o árbitro o responsável pela nossa perda de pontos.
Em perspectiva portanto uma boa época para consumo interno, agora que se verifica que André Gomes pode ser solução para um meio-campo que tanto tem sofrido com as saídas e com as ausências constantes de Carlos Martins e Aimar. E há que recordar que Luisão estará de regresso dentro de três semanas.
Fica apenas a faltar contratar um trinco em Dezembro.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Os comentários são agora automaticamente publicados. Comentários insultuosos poderão ser removidos.